segunda-feira, 21 de maio de 2012

Capitulo 8-Festival de Rock

Olhei para cima e vi Will furioso, eu sai de cima de Daniel arrumando minha roupa e ele se levantou do chão.

-Ui, to fora!

Daniel foi emborra piscando para mim.Will olhou suas coisas no chão , depois olhou para mim furioso.

-Eu posso explicar! - levantei as mãos como se estivesse me rendendo -Tem um casal que vai ver a casa hoje, então pedi ajuda do Daniel para tirar suas coisas daqui.

-Sei a ajuda que ele ta oferecendo - sussurrou ele pegando suas coisas , eu o ajudei. - Aonde vou levar tudo isso?

-Ainda não sei,só sei que hoje você não vai dormir na casa dos Montgomery...ei pode ficar em casa.

-Ha,ha,ha sua mãe me odeia.Ela me expulsaria de lá!

-Ela não te odeia...- menti e ele revirou os olhos - Ok, ela te odeia, mas eu não disse que ela ia saber que vocês está em casa.

Will  deu uma piscadinha teatral como que concordava e eu comecei a rir.

Tumblr_m1i1fkvet51rrhuk0o1_500_large


Então conforme o plano quando mamãe foi mostrar a casa para o casal, meu pai dormia.Era perfeito.Eu e Will entramos e fomos correndo ate meu quarto carregando suas coisas em três mochilas.Havíamos deixado Zé na casa de Júlia que prometera cuidar dele ate Will achar um lugar para ficar.
Agora estávamos no meu quarto e eu trancava a porta, Will observava meu quarto com atenção, ele era repleto de pôsteres de bandas, algumas roupas espalhadas, e ursos de pelúcia pela cama.Ele foi ate a escriva ninha e levantou o porta retrato que estava jogado.Ele o olhou e viu Jeffer.Fui ate Will e peguei de suas mãos e joguei o porta retrato no canto do quarto.

-Não quero ver a foto dele.

-Ele te magoou- ele olhava nos meus olhos, eu com vergonha desviei o olhar.

-Mudando de assunto.Hoje uma Sasha veio te procurar, ela está com saudades - revirei os olhos e fiz uma careta.

-Sabe, quando te vi em cima de seu amiguinho hoje tanbem senti ciumes, é engraçado ver que você tanbem sente ciumes de mim.

-Não to com ciumes!

Eu sentei na minha cama cruzando os braços, ele sentou ao meu lado e me olhou, se aproximou de mim lentamente.Colocou as mãos em minha nuca e puxou meu rosto junto ao dele, ficamos assim, o rosto tão perto do outro, os lábios quase se tocando, parecia que ele irradiava para mim uma carga de eletricidade, eu podia sentir seu alipto quente chegando atê minha boca.Então finalmente nosso lábios se tocaram lentamente.O beijo dele era lento e terno, enquanto o de Jeffer era rápido e urgente o dele você podia sentir todos os movimentos.Sua linguá quente em minha boca aquilo me deixava louca, me afastei dele e pensei em Jeffer, eu o amava não é?Mas por que quando estava junto de Will só o que queria era Will?Só queria beija-lo mais um pouco sentir seu calor.Então  me joguei em cima dele e ele deu uma risadinha mordendo o canto de meus lábios, eu beijei sua bochecha em seguida voltei a beijar seus lábios e saborear isso mais do que qualquer coisa.

-Oh,oh,oh Minha pequena criança,oh,oh,oh minha doce amada - cantarolava ele enquanto passava as mãos por meu cabelo.

-Ei, conheço essa musica!

Ele deu uma risadinha e fez o som do solo da musica que eu tanto conhecia: Sweety Child Ow Mine.

-Essa musica me lembra você- ele enterrou o rosto em meus cabelos - Eu nunca antes tinha sentido isso, é um sentimento novo.

-Sei, você deve falar isso para todas.-eu me afastei dele e andei ate minha comoda e me olhei no espelho -Inclusive aquela Sasha e a garota que você deixou na cama!

Ele veio ao meu lado no espelho e eu vi o reflexo de nós dois.Ele com seus olhos azuis, o cabelo loiro sem pentear e as roupas com cores fracas, eu com os cabelos vermelhos, pele branca e roupas pretas.

-Caroline eu deixei aquela garota na cama porque ouvi você gritar.tenho fugido de Sasha porque quando estou com ela é você quem vem na minha cabeça, nunca senti isso por ninguém.Eu acho que...estou te amando.

Eu o olhei surpresa, ele me olhou sincero, havia tanto amor em sues olhos , isso me acolheu, eu puchei seu rosto para o meu e beijei deus lábios sem exitar.


Eu observava aquela cena de longe na janela.Will a merecia, eu não a merecia, ele iria faze-la feliz, pois eu nunca poderia fazer isso.Eu menti falando a ela que quando a beijo não sinto nada.A verdade é que eu sinto o sentimento mais puro: o amor verdadeiro.Mas sou perigoso, tenho que me manter longe.Doí ver ela beijando outro, mas eu merecia isso, olhei para trás e sabia que Bruna estava parada ali.

-Você a perdeu, não acreditou na gente...Por que não consegue acreditar e aceitar que você é o Jeffer?

-Eu sei que sou o Jeffer...

-Pera, o que? - Bruna me olhou surpresa - Você sabe que é o Jeffer?  Sua memoria voltou?

-Não, somente os sentimentos falaram a verdade.

Bruna começou a pular de felicidade.

-Mas agora eu sou um arcanjo.Eu mudei.E vou lutar ao lado de Miguel, e ficar ao lado de Emily que é meu lugar.

-Jeffer não!Fique do nosos lado, Caroline te ama!Tudo vai voltar a ser como antes.

-Você não ouviu o que eu disse?Eu mudei!Adeus Bruna.

E então eu sumi dali e deixei tudo para trás.Tudo o que eu disse era verdade, eu havia mudado.Estava deixando aquela vida para trás e correndo atrás do meu futuro.



Tudo ocorreu bem, minha mãe não desconfiou que Will passou a noite em meu quarto, ele fez questão de dormir no chão com algumas cobertas, as vezes ele acordava e vinha atê minha cama me beijar.A boa noticia é que o casal não ira a lugar a casa então Will pode voltar para lá no dia seguinte.Ficamos a semana inteira namorando escondidos, uma vez ele veio me buscar amis cedo na escola e ficamos juntos numa rua abandonada, mas a maioria das vezes eu ficava na casa dele aonde ouvimos Rock juntos.Hoje a noite ele iria me levar a um festival de Rock , com show de rock e punk ao vivo, ele iria me apresentar para seus amigos.Eu fiquei o dia inteiro escolhendo a roupa para causar uma boa impressão.Optei por uma regata dos Ramones, com minha calça jeans preta e um All Star cheio de lantejoulas pretas.No cabelo prendi num rabo alto para disfarçar o vermelho que desbotava.Will estava lindo com uma camiseta preta do Slipknot,jeans e um tenos, mesmo com roupas simples ele ficava perfeito.Andamos de mãos dadas, quando parei e o encarei preocupada.

-Eu to legal?Como eu devo me comportar perto de seus amigos?E se eles não gostarem de mim?E se...

-Ei relaxa, você é perfeita.Só um idiota não gostaria de você.

Ele me puxou e beijou meus labios e mordeu minha bochecha, logo vi que já tínhamos chegado.Havia um portão e um estacionamento ao lado, depois do portão dava para ver um gramado e o enorme palco que estava com uma banda já tocando, fomos ate a pequena fila para entrar, e logo já estávamos lá dentro.Era cheio de gente amontoada de preto com correntes,piercyngs e garrafas nas mãos.Eu agarrava a mão de Will para não me perder dele, no palco uma banda de garotos cantava Green Day-21 Guns.Will me conduzia em direção a um cantinho aonde algumas pessoas estavam sentadas e então percebi que Sasha estava lá.

-Will!Seu gay você sumio! - disse um garoto com um moicano e uma jacketa de couro.

-Esqueceu dos parceiros. - disse outro de cabelos pretos compridos, ele fumava e estava com a mão na cintura de uma garota de cabelos azuis e vestido preto rasgado e colado.

-Foi mal.Bom eu quero apresentar minha namorada. - quando ele disse a palavra: namorada, Sasha olhou chocada, enquanto os outros olhavam para mim como se eu fosse algum tipo de aberração - Essa é a Caroline.

-Oi gente- disse envergonhada apertando o braço de Will com força.Seus amigos não falavam nada ate que Sasha deu uma risadinha.

-Brincadeira legal Will!Você é a baba dela?

Todos começaram a rir juntos, eu encarei Sasha querendo mata-la, quem ela pensa que era pra fala risos de mim? Que idiota.

-Isso é uma piada Will? - disse o casa do moicano.

-Retardados parem de rir!Caroline e eu estamos juntos - ele me olhou sorrindo - ela é tudo para mim agora.

-Preciso falar com ela! - disse Sasha para mim se levantando.

Ela foi atê um canto distante perto do palco e eu a segui, Will me olhou preocupado e eu dei um sorrisinho.Ela parou em uma pose e começou a dizer.

-Você não sabe no que esta se metendo.Você vai ser mais uma garota para a coleção de Will.Depois que ele tirar sua virgindade ele vai te deixar, escute o que estou falando!

Eu dei uma risadinha e arrumei uma mecha do meu cabelo que caia em meus olhos.

-Will me falou sobre você.Ele disse que você o forçava a fazer sexo, disse que você é uma manipuladora de primeira.Noticia ruim para você queridinha: não acredito em você!

-Will é meu!Ele é meu!-gritou ela e eu dei uma risadinha me afastando.

Quando fui aonde Will e seus amigos estavam me deparei com Will sentado junto deles fumando e dando mutia risada.Odiava ver ele fumando, fui ate ele e tirei o cigarro da sua mão.

-Isso não tem graça, devolve! - ele se levantou e estendeu a mão esperando.

-Você escolhe, se eu te der o cigarro eu saio daqui.

-Jogue ele fora! - disse ele sorrindo e eu sorri de volta.

Então ele me beijou, seu alito possuía um gosto de cigarro então eu me afastei e mordisquei sue pescoço.Ele se afastou e me olhou e por fim sorrio.

Tumblr_ltp0dczizs1qff28po4_500_large

-O que foi? - perguntei confusa.

-Queria ter certeza que você é real.

Eu sorri e quando ele se aproximava novamente de mim algo o puchou e eu o olhei caindo no chão.Então vi que dois homens o empurraram.Um era alto e o outro baixinho mas musculoso,.

-Por que fez isso cara? - Will se levantou do chão.

-Um presentinho de Miguel! - disse o baixinho então vi seus olhos, eram brancos, um arcanjo!

-Will cuidado! - gritei pegando uma garrafa no chão e dando nas costas do baixinho, ele olhou furioso e me derrubou com tudo no chão em cima dos cacos de vidro.Eu gritei de dor.Will olhou e ficou furioso, deu um soco no baixinho e ele saiu voando, Will tinha uma força surprendente o homem mais alto deu vários socos na cara de Will, mas Will revidou e conseguiu nacautialo, os dois estavam no chão in cocientes por só um soco de Will.Aquilo era impossível eles eram arcanjos, eram fortes e Will era somente humano...então percebi que havia um grupinho a nossa volta e alguns tentavam acordar os arcanjos,Will me olhou e apenas tinha um ferimento na testa.

-Você esta bem? - ele me pegou no colo e eu enterrei minha cabeça em seu peito - Desculpe, foi minha culpa.

-Você não teve culpa, vamos pra casa tenho que cuidar desse seu corte na cabeça.

-Como pode se preocupar ainda comigo depois do que aconteceu?

-Por que eu acho que amo você.

Aquelas palavras saíram de repente.Mas no fundo eu sabia que era verdade.Eu havia me apaixonado por Will.Eu o amava.Will me olhou surpreso, ele sorria, nunca havia visto aquele sorriso dele antes, tão lindo, tão meu.Ele beijou minha bochecha.

-Vamos para casa minha pequena.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Capitulo 7 - Miguel

Acordei confusa, desorientada.Minha cabeça doía.Olhei em volta, deduzi que estava em um hotel com camas perfeitamente feitas, uma televisão no centro e uma porta que dava para o banheiro no canto estava sentado Jeffer olhando para mim triste.Então me lembrei ele havia me pego.

-O que esta acontecendo? - perguntei sentando na cama abraçando minhas pernas - Tudo aquilo era uma armadilha né? Seu beijo foi um sonífero...

-Tem alguem querendo falar com você.É importante.

Revirei os olhos, eu não tinha medo de Jeffer, mas sinceramente não sabia o que ele podia fazer comigo agora que era um arcanjo.A cada momento ele poderia levantar e me matar.Mas dentro de meu coração eu sabia que ele não faria isso.

-Cade essa pessoa?Fale para ela vir logo, não aguento mais olhar pra você e ver um mentiroso, traiçoeiro!

Jeffer abriu a boca e a fechou e depois bufou, ele cruzou os braços e olhou seu relógio de pulso.

-Dez minutos ele estará aqui, não sou mentiroso tudo o que disse foi verdade.

-Finjo que acredito! -

Cruzei os braços tanbem nos dois estávamos de frente para o outro na mesma posição´pareciamos reflexos.

 -Você é o mesmo teimoso de sempre, não mudou esse seu lado irritante- disse baixinho.

-O que você disse? - ele perguntou transformando os olhos verdes em olhos bracos profundos, aquilo me arrepiou inteira.

-Nada não, to quietinha aqui esperando.

A porta nesse instante se abriu em um estrondo eu vi Jeffer abaixando a cabeça em sinal de respeito,mas para quem?Olhei a porta e o vi, mesmo que eu fosse humana conseguia sentir seu enorme poder, ele tinha uns 35 anos de idade, os cabelos pretos ralinhos, e um físico em forma, suas roupas eram azuis e brancas, ele tinha um sorriso confiante, os olhos brancos.

-Miguel - afirmei.

-Prazer em conhece la Caroline - ele fez uma reverencia e Jeffer concedeu sua cadeira para ele sentar, ele sentou cruzando as maõs.

-O que você tem a falar? Não demore eu realmente tenho que voltar para casa.

-Como se atreve a falar com ele assim? - Emily estava na porta só agora que a notei.

-Gostei de você, mesmo sabendo que posso te matar em um único toque não tem medo de falar o que pensa, que força extraordinaria, que personalidade magnifica!- Miguel dizia as palavras impresionado.

-Ela não era assim mestre, parece que esse ano ela mudou radicalmente...

-Emily, cale-se!

Eu dei uma risadinha da cara de Emily.Miguel a mandando calar a boca foi o premio do dia.

-Indo direto ao ponto, querida Caroline você sabe que o apocalipse esta preste a acontecer.

Acenei com a cabeça e ele deu um sorrisinho.

-Meu exercito precisa de reforços, estou te pedindo humildemente que se junto a nós.Seus poderes iriam ser um grande beneficio para ganhar a guerra.

Olhei para Miguel em seguida para Jeffer que olhava para o chão e por ultimo Emily que olhava as unhas irritada.Eu nunca aceitaria aquilo, apesar de que se aceitasse poderia ficar junto de Jeffer mas era errado.E se eu não aceitasse e Miguel me matasse?Bom iria ariscar, eu não ia cometer um erro de aceitar aquilo e matar pessoas inocentes.

-Não, agora pode me levar para casa?

Miguel ficou furioso ele se levantou da cadeira prestes a me matar, Jeffer se pós na frente dele.

-Não mestre.Caroline não sabe o que diz, a perdoe.Eu a levarei em casa não é uma boa hora para tentar convence-la.

-E lembre se você não pode pegar seus poderes, foi feito um pacto! - disse Emily arregalando os olhos de medo.

Miguel fez sinal para Jeffer prosseguir, então ele colocou os dedos em minha testa e me levou para meu quarto.Fui em direção a minha cama e deitei abraçando meu ursinho, ele pegou a fotografia dele próprio novamente e ficou olhando.

-Você é louca de falar com Miguel daquele jeito - disse baixinho - Tão corajosa...mas mesmo assim esquisita.

-Eu aprendi que é melhor você lutar, bater de frente , ter coragem.Do que ficar a vida inteira chorando, com medo e fugir se perguntando o que aconteceria se você batalha-se pelo o que quer.

Ele jogou o porta retrato no chão e sentou na cama ao meu lado rapidamente. Pegou meu rosto e me de um longo beijo.

3046421233_1_61_cv05cj67_large_large

 Aquilo me fervia da cabeça aos pés, os lábios dele eram delicados nos meus e ao mesmo tempo urgentes, sua linguá quente e suas mãos prendiam minha cabeça.Nos afastamos rápido demais.Eu queria mais.

-Pensa que quando te beijo não sinto nada.Nada!

Eu o olhei com os olhos arregalados, peguei meu urso de pelúcia e joguei nele, aquilo partiu meu coração, ele queria dizer que não sentia nada por mim?

-Saia daqui!Seu covarde sem alma!

Joguei tudo o que estava ao meu alcance nele e logo ele desapareceu.Eu enterrei meu rosto no traviseiro, gritei de tanta raiva logo em seguida peguei meu I-Pod coloquei em musicas sentimentais, peguei um caderno junto a uma caneta e comecei a escrever para Jeffer: O problema não é eu amar você.É você não me amar de volta.O problema é que independente das loucuras que eu faria, das horas interminaveis que eu passo no telefone falando de você,do tanto que escrevo para você,do quanto eu quero te agradar e do tanto que eu sinto, você continua não me amando.E a minha morte é saber que vai ser sempre assim.
Assim que terminei de escrever destaquei a folha e coloquei junto de seu porta retrato.Partir daquele momento decidi não sofrer mais por Jeffer, deixei todos os meus sentimentos para trás junto daquela carta.

"Miguel estava na superfície de um prédio ao seu lado Emily.Ventava bastante e ela tentava ajeitar seu cabelo que voava junto com o vento.

-Se eles encontrarem Gabriel isso ira atrapalhar nossa vitoria.

-Eu sei mestre, mas eu garanto não vou deixar isso acontecer.

-Acho bom, ele está mais perto do que parece.Meu irmãozinho tem que ficar como está, entendeu?

Emily concordou com a cabeça e Miguel fechou os olhos abrindo um sorriso satisfeito."

Acordei com meus olhos ardendo.Fui ate o banheiro jogar agua em meu rosto.Finalmente uma primeira pista sobre Gabriel.Me virei e dormi novamente cedida pelo cansaço.

No dia seguinte liguei para Júlia descrevendo detalhes do sonho e da conversa frente a frente com Miguel, ela ficou assustada então não dei detalhes.Agora em pleno sábado eu estava ali comendo o restante do bolo de Will enquanto meu pai assistia jornal e minha mãe escolhia algo em seu livro de receitas para o almoço.A campainha tocou e eu fui atender depois de comer a ultima colherada do bolo.Abri a porta e uma garota alta, com cabelos escuros lisos e maquiagem bem feita sorria.

-Você deve ser a amiguinha do Will!

Amiguinha? O que aquela girafa coberta de maquiagem queria afinal?Como não respondi nada ela prosseguiu.

-Eu vim velo mas ele não está em casa, pode falar a ele me encontrar?Diga que estou com saudades, meu nome é Sasha Piterson.

-Hum, ta.Thau!- disse eu fechando a porta logo em seguida.Era só o que me faltava virei garota de recados.Voltei a cozinha e minha mãe já estava cozinhando.

-O que ela queria?

-Falar com o Will-disse entre dentes.

-Hum, ele sai com bastante garotas não é mesmo?

-Não sei, nem percebo isso - menti.

-Você está gostando desse garoto. - não era uma pergunta, nem uma afirmação na voz de minha mãe, parecia uma fato, isso me fez corar.

-Não.Ele é só meu amigo.

-Eu sou sua mãe, te conheço melhor do que você se conhece.Mas tenho um mal pressentimento filha.E não acho que esse garoto é certo para você.

Suspirei tentando me controlar, não ia discutir hoje, fiquei calada.

-Caroline você sabe aonde esta as chaves da casa da senhora Montgomery?

Olhei confusa para minha mãe, ela descobriu que Will estava morando lá?

-Eu procurei em toda a casa e não achei, um casal vai ver a casa hoje...bom em todo o caso eles pegaram a chave com a imobiliária.

-Com licença...

Fui para a porta o mais rápido possível, tinha que avisar Will para sair de lá antes do casal chegar.Corri para a casa dos Montgomery e tentei abrir a porta, trancada.Comecei a gritar o nome de Will, ele não estava em casa.Ai não, o que vou fazer agora?A janela! Fui espionar pela janela que estava metade aberta e vi Zé deitado em seu cantinho.Quando ele me viu veio correndo e começou a latir.

-Tenho que tirar você dai! - coloquei a cabeça pela janela e vi que dava para passar por ali, impulsionei meu corpo, estava bem apertado, ate que entalei minha bunda na janela - Ah, qual é!!

Fiz todo o esforço para conseguir entrar, mas nada adiantava, Zé ficava latindo se divertindo.Fechei os olhos e rezei para um anjo aparecer.Então senti que alguem bateu na minha bunda, tentei olhar para trás e consegui e vi Daniel rindo.

-Tive um pressentimento que você precisava de mim!

-Isso não tem graça!Um casal vai ver essa casa hoje!Me ajuda a tirar o Zé daqui e as coisas de Will.

-Ok! - eu ouvi ele se distanciar, e pela janela vi ele entrando pela porta .

-Como? - perguntei indignada.

-Anjo lembra? - ele foi ate o quarto aonde Will dormia.

Eu fiquei ali, entalada vendo ele pegar roupas, comida e alguns pertences de Will, por ultimo ele tirou Zé da casa e foi até mim.

-Ta bom já pode me tirar daqui!

-Não- gargalhou e eu rosnei.

-Se você não me tirar daqui Daniel eu juro arrancar suas asinhas!

Nesse instante ele pegou minhas pernas e me puxou, então eu sai da janela e cai em cima dele, cai em algo confortável.

-O que esta acontecendo aqui?

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Capitulo 6 - De volta ao lago.

Tumblr_lny2nucjnm1qcmkeso1_500_large
Acordei de madrugada, muito cedo para acordar, muito tarde para dormir.Acordei sem lembrar se tinha sonhado com algo, então ouvi meu estomago roncar e fui ate a cozinha.Desci as escadas e fui procurar algo nas pratilheiras, para minha sorte tinha cereal, eu despejei em uma tijela e dei algumas colheradas, o jornal estava aberto na bancada então eu li despreocupada.

"...foi encontrada uma pessoa enterrada na floresta de Washington.Alguns jovens que acampavam perto da areá encontraram o corpo e avisaram a policia.O corpo estava intacto sem indícios de tortura, ou qualquer outro assassinato, o homem ainda não fora indetificado, as buscas continuam..."

Era o perfeito assassinato de um demônio feito por um arcanjo, eles os exorcizavam olhando com seus olhos brancos,os demônios que não viraram cinzas eram enterrados.Me perguntei se Jeffer fez aquilo, balancei a cabeça e voltei ao meu cereal.


Cheguei na escola com olheiras, não encontrei Júlia ou Bruna mas Daniel falava com alguns meninos perto do estacionamento das bicicletas.Eu sentei no patio esperando o sinal tocar, ao longe eu vi um casal se beijar.Quanto tempo se passara desde meu ultimo beijo?Eu não fazia ideia.Sentia falta de sentir lábios tocarem os meus e eles se modelarem...logo o sinal tocou e eu fui ate minha classe, Dan veio logo em seguida e sentou ao meu lado, ele parecia cansado.Parecia que o Apocalipse pegou ele tanbem.

-Soube que deu um cachorro para seu amigo, agora sim ele parece um mendigo! - ele deu risada e eu o olhei seria -Mas agora falando serio, aonde que ele consegue dinheiro?

-Boa pergunta Daniel!Você é inteligente! - fiz uma cara de surpresa e ele fez uma careta. - E suas premonições?Alguma noticia do Jeffer?

-Tive a premonição do Apocalipse, por isso ontem não fui na escola, e o Jeffer vei na boa sei não.Ele ta do lado do Miguel né?!

-Pois é, pelo menos ele não ta do lado do Lúcifer.Quando penso no Lúcifer vejo um homem vermelho com um rabo,chifres e um cajado!

Nos dois começamos a rir de minha descrição.

-Ele parece um humano comum, mas seus olhos são vermelhos, e você em sua presença tem vontade de chorar que nem um bebezinho.

-Deixa eu adivinhar, você chorou igual um bebezinho?

-Ha,ha...-ele virou a cara e eu comecei a rir e ele me ignorou e foi falar com seus amigos.


Hoje as aulas demoraram para passar foi uma tortura, queria chegar logo em casa e me jogar no sofá.Me atrapalhei para pegar as chaves,quando finalmente consegui destrancar a porta olhei para a cozinha e me deparei com um bolo de chocolate cheio de confetes coloridos, Will estava ao lado sorrindo.Ele veio ate mim com uma camiseta azul simples , parecia ter saído de um conto de fadas.

-Uau!O que significa tudo isso? - perguntei olhando para o bolo que parecia delicioso.

-Um: obrigado por ajudar um bêbado,chato,barraqueiro,idiota e nervoso.Ele só tem que agradecer por essa pessoa encherga-lo alem do caráter machista, e o Zé tanbem quer agradecer!

Olhei para baixo e vi Zé , ele havia tomado banho e estava com os pelos brilhantes Will pegou nele e fez um carinho em sua face.
Alexav_large


-Ah isso ta perfeito!Obrigada Will e Zé! - Zé latiu contente e correu do colo de Will para sala, eu dei uma risada me divertindo e fui ate o bolo, passei o dedo pela cobertura e coloquei na boca, estava um gosto ótimo.

-Como fez isso?

-No orfanato tínhamos aulas de culinária - ele fez uma careta- pelo menos aquela prisão serviu para algo!

-E os ingredientes?Você tem dinheiro?Por que se precisar...

-Calma, sou de maior , recebo uma quantia do orfanato , é o suficiente.

Sorri e busquei dois pratos e talheres, quando ia cortar o bolo mas ele me fez parar.

-Faça um pedido!

Fechei os olhos e cortei o bolo.Deve estar se perguntando o que eu pedi.Você deve estar com algumas ideias em sua cabeça: ela pediu que Jeffer voltasse a ama-la, ela desejou que o Apocalipse acabe, pediu para Will encontrar sua verdadeira família.Na verdade eu pedi por mim, fiz esse desejo por mim mesma.Não pensei nos outros, pensei em mim.Meu desejo foi fazer as escolhas certas e que minha felicidade reine sobre elas.
Eu e Will devoramos nosso pedaço de bolo em poucos minutos, ele estava delicioso.

-Como foi passar o dia inteiro com Júlia? - perguntei erguendo as sobrancelhas.

-Ela é legal,mas me sufoca...

Dei uma risadinha, e ele pareceu se divertir.

-Seu rosto esta todo sujo!Você parece o Zé comendo!

-Uau!Que gentil!- disse eu rindo,nesse instante ele colocou a mão em meu rosto e me limpou com delicadeza,sentir suas mãos em minha face fazia meu corpo arder, era bom.

-Caroline...-seu rosto se aproximava do meu, estava tão perto,perto...

-Filha!-me virei e olhei minha mãe entrar pela porta, ela olhou feio para Will - Não sabia que você tinha visita,.

-Will fez um bolo fantástico para mim!- eu disse sorrindo,olhei para Will e dei uma risadinha, seu rosto tanbem estava sujo de chocolate.

-Eu já vou indo Carol...- ele se levantou e foi em direção a sala e pegou Zé no colo, então atravessou a porta e eu acenei dando um thau.Mamãe me olhou furiosa.

-Ele trouxe um cachorro?!Bem que Bruna me avisou que ele não era uma boa companhia para você.

-Ate você mãe?!- eu disse revirando os olhos e colocando o resto do bolo na geladeira.- Will é a pessoa mais doce que você já viu.

-Soube que ele fuma e bebe, ele ira te influenciar!

Eu dei uma risada sarcástica,minha mãe estava julgando ele antes de conhece-lo,que ridículo.

-Jeffer sim era um bom garoto, gostaria que ele ainda estivesse com você.

-Eu tanbem queria, mas aonde ele esta?Não ao meu lado eu presumo!Eu cuido da minha vida sozinha!

Sai da cozinha batendo os pés e logo vi na sala que Zé havia feito suas necessidades no tapete,corri para meu quarto pois logo minha mãe estaria gritando furiosa quando vise aquilo.Subi as escadas e abri a porta do meu quarto e para minha surpresa sentado em minha cama estava Jeffer olhando para o porta retrato com sua foto.

-Isso é confuso - ele disse sem me olhar,a cada dia que o olhava ele estava mais bonito, a cada novo momento que o olhava meu coração batia mais forte e eu sabia que o amava.Sem perder tempo tive uma ideia.

-Posso te levar a um lugar?É um lugar que com certeza vai te trazer algumas lembranças.

-Não sei se posso confiar em você - disse ele ainda sem me olhar.

-Você veio ate aqui por um proposito, só se for um tolo para não ir a este lugar comigo.

Ele finalmente me olhou, largou o porta retrato no colchão e foi ate mim, a cada passo que ele dava meu coração batia mais rápido.

-Pense no lugar, vou nos teletrnsportar para lá.

Pensei no lugar com todos os detalhes possíveis ele encostou os dedos em minha testa e no instante d eum piscar de olhos estávamos lá: o lago.Tantas memorias,todas as memorias felizes.Olhei meu reflexo no lago, estava com roupas pretas destacando minha pele branca.

-O que você sente estando nesse lugar? - perguntei tirando os sapatos.

-Nada,não sinto nada - ele disse olhando para os lados como se estivesse tentando montar um quebra-cabeça.

Me sentei e coloquei meus pés na agua, estava fria, refrescava naquele dia quente de verão.

-Você é estranha.

Tirei meus pés da agua e levantei furiosa.

-Como assim estranha?Você nunca falou isso antes de mim.

-Sei lá, só é estranha - disse ele dando de ombros - Tentando ajudar o inimigo isso a deixa mais estranha ainda.

-Você não é meu inimigo - falei indo ate ele descalça.Eu estava tão próxima dele que cada movimento era torturante por que eu não podia toca-lo e eu queria toca-lo mais do que qualquer coisa no mundo.

-O Apocalipse está a caminho, tenho que servir a Miguel mas, como servir a ele estando tão confuso? Isso é loucura!

-Se você acreditasse em mim e na Bruna você não estaria assim.

-Você não sabe o quanto gostaria que o que você diz fosse verdade. - ele fazia carinho em meu rosto e aquilo me arrepiava por inteira.

-Então por que não acredita em mim? - disse triste.

Tumblr_m17mr3rzo71qk8jzuo1_500_large
Ele aproximou os lábios dos meus, tão perto, não resisti puxei seus lábios para os meus e tudo se completou, nossos lábios se modelaram cheios de urgência e amor, era tão bom sentir aquilo novamente, o mundo havia parado, eu havia me encontrado.Mas de repente comecei a perder força, fiquei fraca e cai no chão.Olhei para cima Jeffer me olhava triste e em seguida Emily estava ao seu lado.

-Não se pode confiar em arcanjos- ela sorrio e fez sinal e duas garotas vieram e me carregaram.Eu olhei pra Jeffer e estendi minha mão.

-Jeffer...não, me ajude...

Tudo ficou escuro.







quinta-feira, 3 de maio de 2012

Capitulo 5- O Apocalipse começou.

-...uma mulher estava indo a pé atê sua casa e encontrou um garoto com algumas feridas em uma rua deserta,ela o levou no hospital e quando ele acordou não tinha memoria, não se lembrava de nada.Ninguém nunca encontrou os pais desse aroto, então o aprisionaram em um orfanato...esse garoto sou eu.Sabe por que me chamo Will?Por que fui encontrado na rua Will O'Leray.

Fiquei chocada, nunca imaginei que ele tinha uma historia de vida tão dolorida, queria abraça-lo e falar que tudo iria passar.
-Sua memoria nunca voltou?

-Nunca.Imagine um garoto de 10 anos se olhar no espelho e não se reconhecer, não lembrar de nada, nem do próprio nome!Eu não sei que idade eu tenho, não sei quando é meu aniversário.Nunca tive ninguém no mundo,nunca tive nada...

Agora eu o entendia completamente, entendia o por que de algumas atitudes dele.Ele sofria mais do que qualquer pessoa ao meu redor, e se você não prestasse atenção nunca notaria.

-Foi assim que afoga as magoas na bebida?

-Sim, não uso drogas mas já experimentei para nunca mais.Mas é a bebida que é um vicio...também fumo cigarro, eu sei que é errado mas...

-Eu sei - falei tentando acalma-lo -Olha você não teve ninguém antes mas agora você tem a mim, vou cuidar de você!

Ele esfregou os olhos e olhou para baixo, eu cheguei perto dele peguei seu rosto e obriguei a olhar para mim, então percebi que eu chorava também, ao imaginar uma criança sem memoria, sem ninguém, presa em um orfanato confusa.Ele sim sofria,eu jurei a mim mesma que cuidaria dele.

-Pequena eu sei me cuidar - ele tirou os cabelos do meu rosto - Mas fico feliz que você quer me ajudar, as pessoas ao meu redor no geral querem se aproveitar de mim.

-Eu não sou como o resto - sorri - está melhor?Desabafar liberta né?

-É, parece que tirei algo ruim do peito.- ele colocou a mão em seu coração.

-Você não tem curiosidade de saber quem são seus pais?

-Não, quero distancia dessas pessoas, minha família é somente eu, e sempre será.

Nos olhamos.Tão perto, os olhos azuis dele com algumas lagrimas, eu suspirei e começamos a rir, era tão estranho pela primeira vez tivemos uma conversa decente.

-Sua vez, o que aconteceu com você?

Eu olhei surpresa, não podia contar sobre os anjos, ele nunca acreditaria.Então resolvi reformular a historia.

-Eu e Jeffer nos apaixonamos, o meu amor por ele não há explicação, é uma coisa única, ele sempre será o único.Guardo todos os momentos felizes com ele em meu coração, só que agora ele está...perdido.A garota que invadiu minha casa está com ele, fica manipulando sua cabeça e agora ele esqueceu de mim.

-Como ele esqueceu de você?Mesmo se eu perdesse a memoria novamente nunca esqueceria você.

Eu o olhei surpresa, ele se aproximou e acariciou meu rosto.Eu peguei sua mão fazendo ele parrar, sai do comodo.

-Já é tarde- falei baixinho -Obrigada por se abrir comigo...

Então eu sai dali o mais rápido possível, com medo do que poderia acontecer.


Emily e as garotas estavam agitadas no quarto de hotel, eu não participava da discussão, eu ouvia musica alta com meus fones de ouvido em um canto, Avenged Sevendfor.Me perguntava se Caroline também ouvia.Ate que Emily tirou os fones com violência de meus ouvidos.

-Presta atenção!

-Se vocês parassem por um minuto e me explicassem a situação eu prestaria atenção.

-Matt...- ela suspirou , parecia que tentava encontrar calma. - O apocalipse começou , esse é o nosso momento.

-Como assim? - perguntei me remexendo .

-Lúcifer e Miguel iram se enfrentar finalmente, Lúcifer quer dominar o controle de todo o mundo e Miguel ira impedi-lo, matando qualquer um que entrar sem seu caminho.

M,as espere...isso não vai acabar destruindo tudo?Muitas pessoas inocentes morreram!

-Eu sei, você é um dicipulo de Miguel.Não se importa com os danos e os humanos,lembre-se!

Emily voltou a discutir com as outras, eu joguei longe meu I-pod.Estava cansado de ver pessoas morrerem em toda a parte.Sai daquele hotel e fui a um lugar que meu coração pedia para ir.


Estava na janela do quarto de Caroline, ela dormia, era tranquilizante ve-la dormir.Ela parecia um anjo.Fiquei com uma enorme vontade de pega-la e beija-la naquele momento, quando senti que alguem estava atrás de mim.Me virei e não havia ninguém, mas com medo de ser descoberto sai dali o mais rápido possível deixando o pequeno anjo dormir tranquilamente.


Me protegi do sol quente, eu estava suando mesmo vestindo regata branca do Avenged Sevendford e shorts rasgado com coturnos, vi do meu lado Júlia com uma regatinha laranja e branca, shorts e tênis.Tínhamos acabado de sair da escola.Daniel e Burna haviam faltado hoje, cocnerteza estavam ocupados com algo, o que me deixava curiosa.Júlia havia comprado um MilkShake para refrescar, mas nem isso estava adiantando.

-Será que o Will ta só de cuecas hoje nesse calor? - perguntou ela levantando e abaixando as sobrancelhas.

-Julia voce tem namorado lembra? - Júlia fez um olhar de confusa - Bem , que te chama de xuxu!

-Ele não é ciumento!- disse Julia dando uma risadinha eu olhei com sarcasmo.

-Você tem visto a Marina?Ela não tem vindo amis a escola e não retorna minhas ligaçoes!

-Falei com ela outro dia pelo Twitter, ela foi muito fria, gostaria tanto que o tempo voltase...

Concordei com a cabeça Logo a frente no Pet-Shop estavam doando cachorrinhos, eu logo dei um sorriso e corri para ve-los.Havia alguns numa caixa, fui espiar e eram filhotinhos que cabiam na plama da minha mão.

-Que gracinha!- disse Julia olhando eles - Mas eles devem ficar tão grandes!

Eu fui olhar na outra caixa, eram filhotes de dalmatas, eles latiam assustados.Eu peguei um no colo e ele logo parou de latir, era tão fofinho, a moça da doação veio até mim sorrindo.

-Eles tem apenas 2 messes!Fofos não?!

Eu concordei com a cabeça sorrindo, então vi um outro cachorro em um cantinho deitado, ele era branco com manchas marrons, estava tão perdidinho e sozinho...

-E aquele ali? - perugntei apontando para ele.

-Ah é o Zé! Ele foi encontrado na rua ainda bebe sozinho, ninguem o adotou ate agora, ele vai fazer 1 ano.

O Zé me lembrou o Will, coloquei o dalmata de volta na caixa e ele voltou a chorar, fui ver o Zé de perto.Quando me aproximei ele chegou perto todo feliz, fiz carinho em seu pelo e ele pareceu gostar e a abanar o rabo animadamente.

-Oi Zé!Voce se parece muito com um amigo meu sabia?!

Foi nesse momento que tive uma ideia.Levantei e chamei a moça da doação.

-Quero adotar o Zé.

-Ah otimo!Ele ficara muito feliz!Venha comigo para voce prencher a ficha.

-Voce vaia dotar mesmo? - perguntou Julia chocada - Sua dodia!Carol seus pais vão ficar loucos!

Eu dei uma risadinha e fui prencher a ficha, sorrindo com um plano que iria dar certo.Pelo menos eu espero.


Bati na porta de Will confiante.Tive que implorara pra Juliar esperar no meu quarto, pois se ela fosse comigo iria xavecar Will ate ele a expulsar.Ele logo atendeu a porta e Julia tinha razão ele estava de camisa mas dessa vez com uma cauça preta.Se rosto estava sorridente e os olhos não estavam vermelhos, pela primeira vez ele não cheirava a alcool nem a cigaro.

-Tenho uma surpresa para voce! - eu disse alegre.

Então fui ate o quintal dele e ele me seguiu.Asobiei forte e vi Zé que estava do outro lado do quintal correndo em direção ao Will.Parece que foi amor a primeira vista, Will se agachou e Zé foi junto a ele com euforia, Will passava as mãos em seu pelo com um enorme sorriso.
393415_248729351854869_148557461872059_662620_1693143822_n_large

-Aonde encontrou ele? - perguntou ele olhando para mim coma quele sorriso que qualquer modelo se mataria para ter.

-Eu o adotei, é um presente você fica muito sozinho nessa casa!O nome dele é Zé!

-Zé?!Que nome horrivel deram para voce amigão! - ele disse brincando com o cachorro - Obrigado, este é o melhor primeiro presente que já recebi.

Olhei para o alto, ele nunca ganhou um presente.Já era de se esperar.Sentei no chão junto dele e fiquei brincando com Zé, que corria de um lado para o outro, Will dava cada gargalhada gostosa, queria ve-lo assim sempre, sorindo.

-Gostei da sua blusa - ele apontou para minha blusa do venged - O som deles é muito foda!

-Falando em camiseta, não ta na hora de você vestir uma camiseta não?

Eu disse olhando seu peito nu, ele tinha uma tatuagem de cruz no peito, e outras no braço, aquilo o deixava mais sexy, olhei constrangida por pensar nisso.Ele me olhou setico e deu risada.

-Esta calor e alem do mais...-ele parou de falar e olhou assustado para o começo da rua, então ele pegou Zé no colo e me puxou com tudo para dentro da casa.Ele trancou a porta rapido e colocou os dedos nos labios fazendo um ziper.Ficamos em silencio eu o olhava sem entender nada.

-Caroline!Will!

Era a voz da Julia, Will olhou desesperado para mim.

-Ela tem que calar a boca. - sussurou Will - a mulher do orfanato está na esquina!

-Ai meu Deus- sussurei , peguei meu celular e mandei um SMS pra Julia explicando a situação digitei tão rapido que bati meu recorde.Então fui espionar pela janela enquanto Will ficava atras da porta com Zé.

-Mocinha voce morra nessa casa? - perguntou a mulher do orfanato para Julia com uma cara rancorosa.

-Ah, sim, me mudei a pouco tempo - mentiu Julia vindo em direção a porta.

-Voce não conhece nenhum Will?Garoto com olhos azuis, cabelo loiro...

-Não, desculpe.

A mulher desconfiada foi embora, Julia abriu a porta e olhou para Will no canto.

-Valeu Julia!- ele deu um pequeno sorriso.

-Não foi nada-ela due um super sorriso enquanto falava-Carol vim te avisar que Bruna quer falar contigo!Ela esta no seu quarto.

-Ah, tudo bem, vou indo pra lá.Voce vem tanbem Julia?

-Não vou fazer companhia para o Will!- ela deu uma piscada para mim.

Eu olhei ela se aproximar de Will.Não gostava de Will junto com Julia, não gosto dessas coisa.alem de a todo o segundo ela dar e cima dele.Sai dali contra a minha vontade e corri para minha casa.A porta estava aberta então corri para as escadas que davam para meu quarto.Qando cheguei lá em cima Bruna abria minhas gavetas.

- O que está procurando? - eu perguntei curiosa.

-Algum chocolate escondido, preciso de algo doce depois dessa noticia!

-O que aocnteceu?Jeffer está bem? - segurei minha corente com força, meu coração batendo rapido.

-Ele está bem.é uma noticia que o Ogeid me deu do céu, está um caos lá em cima!A batalha final ira acontecer.O apocalipse chegou.

Eu imaginei zumbis, predios pegando fogo e os trasfromers atirando.Isso me fez rir e Bruna me olhou indignada.

-Isso é serio!Miguel e Lucifer vão travar uma batalha com varias mortes.Se Lucifer vencer o mundo que voce conhece não existira mais.E se Miguel ganhar, ele ganhara do jeito mais sujo possivel, sangue inocente derramado.

-Só tem esses dois lados?- perguntei chocada.

-Não, tem os anjos de Deus e os humanos, mas Deus não quer iniciar uma guerra com os proprios filhos só quem pode parrar isso sumio a seculos!

-Quem é?Se existe um jeito temos que lutar por ele!

Bruna sentou na minha cama com um olhar misterioso e distante.

-Gabriel, o anjo que desistiu de sua divindade para se tornar humano.

-Uau, como o encontramos - eu já olhava para os lados cmo se ele estivese perto.

-Ele sumiu a anos Carol, mas eu e meus irmaos estamos prontos para encontra-lo.Precisamos da sua ajuda, você tem que ver o passado para descobrir o que aconteceu com ele. Tudo depend de voce.

Senti um peso enorme em minhas costas, o destino do mundo dependia que eu achase esse Gabriel.A ficha ainda não havia caido parecia que Bruna brincava comigo, mas eu nunca a vi tão desesperada como agora.

-Pode contar comigo Bruna!

-Otimo! - ela levantou na cama contente -Mudando de assunto não gosto de voce andando com esse Will, ele não é uma boa companhia para voce!

-Ah não!Não quero ouvir isso!

-Tudo bem, é só a minha opinião...seus pais estão cehgando, cuidado Caroline!

Então vi Bruna desaparecer.Odiava quando ela fazia isso.Ouvi a porta da sala se abrir e meus pais falando, corri para fora do quarto e fiquei os olhando da escada.Meus pais com os rostos cansados do trabalho, não suportaria perdelos por um Apocalipse de dois irmãos que se odiavam.Então subi decidida para meu quarto , estava cedo mas eu pretendia dormir, tinha que sonhar com algo!Peguei algumas cobertas e meus ursinhos de pelucia,então vi a foto de Jeffer em meu porta retrato.
Tumblr_lxx4jjrw8e1rnrd1ko1_500_large
Aquela foto eu havia tirado dele aqui em casa, nessa época eu não imaginava que ele era um anjo, eu tinha uma vida comum.Será que eu me arependi de me envolver com anjos e agora lutar junto deles?Não, eu não me arependo de nada que fiz, pois no final isso define quem você realmente é.