segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Capitulo 13 - Assas

Tumblr_lmk0886sgu1qga1lvo1_500_large

Bruna se sentou ao meu lado na cama, e ficou esperando eu dizer algo, respirei fundo e tentei começar.

-Tive um sonho tão horrível agora,tenho medo que se torne realidade...

-Tinha um demônio em sua cabeça Caroline, ele te forçou a ver seus maiores medos, nada disso vai se tornar realidade...

-Espere o que? Tinha um demônio em minha cabeça? - gritei assutada, do que ela estava dizendo?Eu estava apenas cansada suando, tive uma noite longa por causa da festa, não tinha um demônio em minha cabeça...ou será que tinha?

-Hum...quando ele saio deve ter levado as memorias junto, mas você disse que sonhou com algo?Me conte. - disse Bruna se inclinando com curiosidade, eu me arrepiei ao lembrar do sonho.

-No inicio tudo estava escuro e em seguida veio as cores, era uma floresta, enorme, havia muitas pessoas, mas reparei que elas tinham assas, e ao olhar dentro dos olhos delas não havia nada os olhos eram totalmente brancos!

-São arcanjos, eles tem olhos totalmente brancos, isso me dá medo também - disse Bruna com gentileza.

-Eu vi Jeffer seguir ao encontro deles, ele estava se distanciando de nos, ele foi até eles me olhou e em seguida olhou para eles, veio um clarão de luz e eu não conseguia ver mais nada , quando voltou ao normal Jeffer se virou para nos com os olhos fechados ao abri-los seus olhos estavam sem cor...eles estavam brancos, e sem a segurança que normalmente me trazem...

-Ain ele virou um arcanjo em seu sonho então?Igual aquela loira da Emily?

-Espera aquela loira que estava aqui é um arcanjo?Mas ela não possuía olhos brancos...

-Eles tem o poder de disfarçar os olhos, se não quando viessem a terra todos iam reparar neles...Bom Caroline eu acho que foi algo que o demônio fez você ver, acho que isso não é uma de suas visões,não pode ser, mas mesmo assim não conte ao Jeffer, nosso segredo?

-Claro!Obrigada...mas eu estou com medo um demônio entrou na minha cabeça?Como? -Bruna me abraçou e sussurrou em meu ouvido:

-Na festa de ontem devem ter te dado uma bebida com magia da trevas, logo vamos descobrir quem foi não fique assutada,tudo vai ficar bem.


Estava com uma mochila nas costas,indo em direção ao lago com Caroline, um tipico programa de namorados era disso que precisávamos, depois de ligar ao pai dela dando a informação que ela estava bem e que eu estava pedindo gentilmente uma folga a ele, parecia que eu não ia mais trabalhar na lanchonete depois do pai dela ter brigado comigo pelas minhas escapadas e eu ter desligado o telefone na cara dele, afinal Caroline e eu precisávamos de um tempo juntos, sem ninguém.Ela estava toda calada no caminho, ao chegar ao lago tirei as coisas da mochila para fazer um piquenique, ela foi até o lago dar uma olhada enquanto eu arrumava as coisas.O rio Colúmbia, tão calmo e sem ninguém era o ambiente perfeito, ao arrumar tudo ela sentou ao meu lado e pegou cookies que eu havia...bem roubado de sua própria casa.

-Aqui me trás lembranças muito boas, meu pai desde que eu era criança me leva aqui nos finais de semana para pescar, no inicio era divertido mas agora eu gosto só de observar o mar enquanto ele pesca.

-E ele é um bom pescador? -disse sorrindo e ela deu uma risada.

-Ele tenta ser um bom pescador...Nossa que calor!Anjos sentem calor?

-Não...mas quando um anjo convive muito tempo com humanos ele pode sentir sim,e eu estou com calor agora. - ao dizer isso tirei minha camiseta e arrumei meu boné.

-Uau, exibido - dei uma risada sarcástica.-Como é ser o único anjo que já amou na historia?E ainda escolheu uma péssima opção amar Caroline Vieira!

-Rá, não se sabe se eu fui o único a amar, mas é uma sensação maravilhosa amar a Caroline Vieira, ela é uma namorada que me faz me sentir vivo, me faz me sentir humano...

Eu me inclinei e beijei sua bochecha e em seguida seus lábios, ficamos trocando caricias até ela der repente me olhar com os olhos curiosos.

-Você acha aquela Emily bonita?

-Ela é bonita sim...porque? - disse eu curioso e ela bufou irritada.

-Você acha ela bonita?Então por que não vai lá com ela?-eu revirei os olhos e comecei a rir.

-Ciumenta, pra mim só existe você...mudando de assunto vou dar um mergulho no lago... - disse eu me levantando.

-Você é louco...Ei bonita tatuagem...

Eu me virei e ela apontava pra minhas costas...a tatuagem de assas.

-Isso não é bem uma tatuagem é mais um celo que guarda minhas assas,eu só posso libertar esse celo em caso de urgência.

Caroline ficou fascinada e passou as mãos pelo celo das assas,ela me olhou com os olhos brilhantes e eu tive uma ideia maluca.Eu me afastei dela e me virei , olhei para os lados para ver se estávamos mesmos sozinhos e ninguém veria aquilo, suspirei me alonguei e me deixei levar...


As assas se abriram trazendo uma brisa fresca e leve ao meu rosto, elas eram enormes brancas e em alguns pontos ao sol ficavam azuis, foi a coisa mais linda que eu já vi na vida.Sem ação fui perto estendendo as mãos, e em um instante estava tocando as assas,elas eram macias lisas, era como tocar em algodão, eu o olhei radiante, e ele estava sorrindo, ele me prendeu minha cintura junto da dele, e sussurrou em meu ouvido: " se segure" , me apertei forte junto ao seu peito e num instante nosso pés tinham saído do chão, estávamos flutuando, estava com um frio na barriga, que foi aumentado na medida que íamos para cima, em um instante estávamos a metros do chão, dei um espiada para baixo e fechei os olhos rapidamente estávamos muito alto, eu tinha medo de altura,apertei os olhos não querendo ver lá em baixo , eu estava tremendo.

-Isso é assustador! - gritei para ele.

-Não tenha medo estou aqui, quero voar com você em meus braços, você vai adorar a sensação pronta?

Ele me carregou nos braços naquela altura e esperou eu acenar com a cabeça para voar para frente, eu afirmei com a cabeça, ela deu uma risadinha e começou a voar para frente, eu estava com os olhos bem fechados, só sentia uma brisa vindo com toda a velocidade, ele estava tão rápido.

-Abra os olhos, está perdendo a vista! - disse ele, então foi o que eu fiz abri os olhos e olhei para baixo, enquanto estávamos voando a agua passava por nos, era inclivel e tão bonito, foi então que lembrei do sonho que tive de estar voando, ele estava se realizando, eue stava mesmo voando sobre a agua.A melhor sensação do mundo.Ele foi descendo ate a margem, toquei meus pés no chão sentindo saudades já de voar, eu comecei a rir fascinada e tão feliz, ele olhou em meus olhos penetrantes.

-Eu te amo- disse ele com certeza, parei de rir e o olhei, era a primeira vez que ele dizia as palavras...

-Eu te amo muito mais Jeffer! - disse gritando toda feliz e pulando em cima dele, eu o beijei ate ele começar a rir, era o dia mais feliz da minha vida concerteza, eu estava tão feliz tinha tudo o que queria bem ali nos meus braços o meu anjo.


Lá estava eu e Júlia mais uma vez indo para a escola, as ferias de verão tinham acabado com um lindo dia com Jeffer e hoje a escola nos esperava,foi tão dificiul acordar hoje, eu não queria ficar na escola, estava a noite inteira conversando com Jeffer pelo celular (Ogeid comprou um celular pra ele).Infelizmente ele não poderia vir na escola junto comigo afinal ele não tinha as documentaçoes necessárias.Distraída levei um susto quando Júlia começou a gritar e correr na minha frente, olhei para ver o que era e comecei a sorri e pular também, Marina nossa grande amiga estava entrando na escola, ela havia ido em um intercâmbio no Brasil por 1 ano e agora parecia que estava de volta.Fui correndo abraça-la também.Ela agora fez mechas rosas nas pontas do cabelo loiro, estava com uma calça jeans escura e uma camiseta do Green Day.

-Nossa meow que saudades de vocês duas! - dizia ela sorrindo -Vocês tão diferentes!Adivinha?Eu cai na mesma classe que vocês!

-Melhor ainda assim agente fofoca! - disse alegre Júlia e dando outro enorme abraço em Marina -Vamos entrando já,assim dá pra conversar mais!

Fomos até nossa classe 2 ano D , sentamos no meio, Júlia na frente , Marina ao seu lado e eu atrás de Júlia, Marina disse como São Paulo é grande e movimentada, e que havia comprado milhões de camisetas do Ramones.

-Conheceu alguem bonito lá? - disse Júlia já querendo saber dos detalhes...tipico.Marina deu uma risadinha sarcástica.

-Conheci...o nome dele é Craig...

-Vocês tão namorando? - perguntei eu curiosa...tipico.

-Sim!Mas temos que ver como vai ficar com esse lance da distancia, já estou com saudades...

Enquanto conversávamos mais alunos entravam, Carla sentou do outro lado na primeira carteira e atrás dela Byron, Lucas estava no fundo junto com os amigos do futebol,ao ver que eu o olhava ele deu uma piscada para mim, desviei os olhos para outro canto da sala e isso me fez parrar, havia um garoto novo na sala, ele era...lindo, os cabelos castanhos arrumados em um topete,os olhos bem escuros,ele estava todo arrumado em roupas pretas e brancas, Júlia suspirou ao meu lado.

-Que lindo!Quem será que ele é?

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Capitulo 12- Festa com Júlia


Estava na frente da tela de meu computador com o site de pesquisas Google aberto, digitei a palavra: "anjos" para me informar mais sobre o assunto, fui ver as imagens e apareceu estatuas de anjos e um desfile da Victoria Secrets ,quando ouvi a porta da frente se abrindo...será que meus pais já haviam voltado?Mas eles só iriam voltar amanha, estava levantando para ver se era Jeffer mas a pessoa já estava no meu quarto encostada na porta, Júlia estava com uma cara nada boa.Deduzi que havia algo relacionado ao Bem.

-Você não imagina Carol o que o Bem fez comigo...Eu nem quero falar sobre isso para não ficar lembrando mas ele me magoou tanto nossa.

 Júlia deitou na minha cama, ela estava realmente muito mal pois geralmente ela não andava nem se sentava ela ficava saltitando e não conseguia ficar quieta,nunca vi Júlia chorar, ninguém nunca viu ela sempre estava sorrindo e passando alegria mas hoje ela estava realmente muito mal, não estava chorando mas era só olhar nos olhos dela para ver a tristeza que cotiam.Fui ate a cama e deitei ao seu lado e suspirei.

-Não fique assim viu?Ele não te merece!Os meninos são tão complicados Júlia...gostaria que viessem com manual isso resolveria tanto...

-Problemas com Jeffer também? - disse ela olhando pra mim , eu virei o rosto e afirmei com a cabeça, sentamos na cama e ela me abraçou uma reconfortando a outra.-Não fica assim não Carol,o Jeffer é muito bom diferente do Bem...

-Isso que é o complicado, ain Júlia é tanta coisa são tantos os segredos queria esquecer um minuto isso...-Júlia me interrompeu levantado da cama e começando a sorrir.

-Entaum hoje vai ter uma super festa que a Carla vai fazer!E todos foram convidados que tala gente ir dançar se divertir e esquecer de tudo?!

Olhei pra ela com as sobrancelhas erguidas, Carla e eu eramos amigas faz muito tempo mas ela mudou por completo virando a rainha da escola, a pessoa que inventa apelidos pra você, se acha a gostosona e fica dando em cima de todos os meninos que estão na lista de sexy e bonitões da escola, ela virou o que eu mais detestava, e agora ir numa festa dela?Isso soava muito mal.

-Melhor ficarmos aqui Júlia serio, essas festas costumam te deixar bêbada e descontrolada mesmo se você for uma santa, e ainda Carla?Ela é a pessoa mais mesquinha que eu conheço.

-Vái por favor!Vamos?Vamos?Por mim!- disse ela pulando do meu lado e implorando, suspirei.

-Tudo bem...vou me arrumar mas se a coisa passar do limite vamos embora ok?

Júlia deu um gritinho e começou a rir saindo do quarto para eu me arrumar,abri meu guarda-roupa e pensei em avisar Jeffer aonde eu estava mas...eu só ia a uma festa a poucas quadras da minha casa,e eu realmente precisava me divertir e esquecer dos problemas por um momento...Sim eu iria a festa.

A entrada da casa de Carla estava toda decorada com baloes pretos e pink, ao entrar no gramado em direção a o grande salão de festas que os pais mandaram construir você podia ver todos os alunos da escola e mais algumas pessoas desconhecidas, o salão de festas ficava perto da picina e eu pude ver que haviam garotos empurrando as meninas na picina, Júlia olhava pra mim arregalando os olhos e depois sussurava: "uau" , ao entrar no salão dava pra ver Carla com um vestido rosa cheio de brilho e com enormes cílios postiços verdes e uma boca pink brilhante, com sapatos de salto alto da Mellisa, e seu cabelo preto estava com pequenas ondas,ela estava dançando com um amigo gay dela, Byron ele era legal e divertido mas sua lealdade sempre era a favor de Carla, olhei para o lado e vi Lucas no bar, ele já estava cambaleando e puxava a cintura de uma menina loira.Olhei pra Júlia e ela deu de ombros.

-Vamos nos divertir!Vem vamos dançar! - ela me puxou ate a pista de dança aonde todos dançavam empolgados -Vamos Carol se solta!

Júlia começou a dançar e eu olhei para ela rindo, olhei para os lados eu realmente não gostava de dançar em publico,aquilo me fez lembrar quando dancei com Jeffer na lanchonete...e então me lembrei do que ele me falara todas as coisas, tudo voltou na minha cabeça, olhei para Júlia que estava se divertindo dançando com um garoto agora, fui em direção ao bar sentar lá,quando me sentei vi que Lucas já havia ido emborra o que me trouce certo alivio e isso também me fez lembrar o dia que Jeffer me defendeu de Lucas no campo...Jeffer estava em todo lugar não havia como esquece-lo eu fui burra de acreditar que aquilo me faria esquecer.

-Dia ruim amiga?

Olhei para o lado e vi Carla pegando uma vodka ice, ela me ofereceu e eu recusei com a cabeça.

-Olha Caroline agente não se fala faz anos e você é sempre tão reservada se solta gata!Você quer ser lembrada por ser a garota reservada ou quer ser lembrada por alguma coisa melhor?Se divirta se solta!Olha garçom vê pra ela uma vodka e trate de beber em mocinha?Isso é uma festa não um enterro!

Carla saio rebolando para a pista de dança enquanto o garçom colocava na minha frente a vodka, eu olhei ela , olhei para os lados e disse: "dane se" comecei a beber até acabar, havia algo estranho o gosto estava estranho, aquilo me deu uma tontura e comecei a ver alguns pontos pretos, o garçom olhou pra mim colocando outro copo, olhei para o copo e automaticamente bebi outro gole, e quando me dei conta havia acabado, era automático eu não me dava conta do que estava fazendo, era como se meus movimentos estivessem sendo controlados.



-Jeffer ela está te traindo, mulher é assim quando viu problema em um homem já parte pra outra e vamos falar a verdade meu amigo você tem sérios problemas!

-Fica quieto Ogeid!Jeffer não liga pra ele, ele só quer te atormentar!

Bruna e Ogeid estavam me fazendo companhia na lanchonete, Caroline não havia aparecido e os pais dela disseram que quando chegaram em casa ela não estava lá e ela sabia o dia e a hora que eles voltariam de viajem, e minutos depois Júlia ligou para eles avisando que ela estava em sua casa e que havia festejado muito na festa ontem, festa?Mas que festa é essa que não me avisa nada?Isso não era a cara dela.

-Ei meu pedido está errado! - gritou uma mulher de cabelos crespos usando óculos fui até o pedido que havia posto e vi que era pra mesa 10 e não pra 7, pedi desculpas e destroquei os pedidos.

-Por que ainda ta trabalhando?Você já conseguiu a Caroline se demiti e vamos curtir a vida juntos vai! - disse Bruna atrás de mim, aquilo estava o dia inteiro ela e Ogeid me perseguindo de lado pro outro.

-Ta bom vocês venceram vou sair mais cedo do emprego! - Bruna gritou e Ogeid começou a sorrir.

-Aonde nos vamos?Paris?Que tal o Brasil?Ou quem sabe lá na Califórnia?

-Não , vamos a um lugar melhor a casa da Júlia!

Bruna e Ogeid tararam o sorriso do rosto e reclamaram, fui até o balcão avisar ao pai de Caroline que tinha que sair mais cedo.Ele me olhou desconfiado e perguntou o porque.

-Minha irma teve que fazer uma cirurgia e...

-Eu sei que é pra você ver Caroline na casa de Júlia - disse ele me interrompendo.

-Confesso é isso mesmo, é que estou preocupado então...

-Pode ir!Eu ia te mandar mesmo para isso, assim que souber me ligue!

-Valeu, eu ligo!

Deixei meu avental na bancada e fui ate a porta com dois anjos me seguindo.

Quando cheguei na casa da Júlia tudo parecia calmo,toquei a campainha e logo em seguida ela atendeu, ela parecia péssima estava com olheiras profundas, e o cabelo estava todo desarrumado.

-Oi Júlia, Caroline está? - ela olhou para dentro e bocejou.

-Sim, ainda esta dormindo, ela é uma dorminhoca, é que ontem nos duas nos divertimos demais, mal sabia eu que Caroline era daquele jeito.

Entrei na casa de Júlia e a encarei.De que jeito?Ela me levou até o quarto Bruna e Ogeid me seguindo, então vi ela caída na cama de Júlia o cabelo bagunçado a roupa toda amassada e a maquiagem borada.

-Uau,parece que ela se divertiu - disse Ogeid rindo.

Júlia bocejou novamente e pegou uma bouça que estava em um canto do quarto.

-Ainda bem que vocês chegaram preciso ir para meu curso, já estou atrasada...

-Espera Júlia pra onde vocês foram ontem?

-Festa da Carla, Caroline exagerou na dose ela bebeu muito, mas fica tranquilo ela não te traiu nem bancou a louca ela dançou bastante e falou com todos, estava bem feliz...e agora está desmaiada de cansaço...gente preciso ir, daqui a pouco eu volto prometo!

-Da próxima vez me chame em? - gritou Ogeid da porta do quarto enquanto Júlia ia saindo sonolenta.

Fui até a cama perto de Caroline, ela estava cheirando a vários tipos de perfumes e álcool, ela suava muito e parecia imóvel.Eu já ia levantando da cama quando ela garrou meu braço, olhei para ela  ela estava com os olhos fechados e começou a gritar, um grito agudo de dor.

-Caroline?!Caroline ta tudo bem?Me responda! - gritei desesperado, Bruna veio do outro lado da cama e passou as mãos pela testa de Caroline em seguida pela garganta , parecia que ela procurava algo, no instante seguinte Caroline soltou meu braço parou de gritar e voltou a antes: dormindo parecendo um anjo.

-Ai meu Deus!Caroline você não deve aceitar bebida de estranhos! - gritava Bruna apavorada.

- O que aconteceu Bruna? - perguntou Ogeid sentando na cama.

-Caroline bebeu algo com magia realmente das trevas,com isso um demônio conseguiu entrar dentro dela...esse demônio é tão cruel...

-Que demônio é esse Bruna?O que ele faz? - gritei assutado.

-É o demônio dos medos, ele te mostra seus maiores medos, e pelo visto esta mostrando a ela atravez dos sonhos...

-Então vamos acorda-la! - falou Ogedi depressa mas Bruna o interrompeu.

-Se a acordar pode mata-la!Isso é muito perigoso!-Bruna foi interrompida por outro grito de Caroline, aquilo me deixou louco afrito sai correndo do quarto não podia ouvir nem ver aquilo, era uma tortura, Caroline sofrendo e eu não podia fazer nada,aquilo doí tanto em mim, comecei a gritar e chorar, Bruna foi até mim e me abraçou, ela também chorava os dois chorávamos, Ogeid ficou olhando sem saber o que fazer.

-Então vocês vão ficar ai chorando e não vão fazer nada?

-Não há alternativa, temos que esperar o demônio sair esse eé o único método que eu sei...eu não sou expecializada em demônios sou expecializada em amor, e doí em mim ver Jeffer e Caroline sofrendo...

-Coitadinha, ainda bem que eu não sou obsecada no amor e dou importância para outro assuntos.

Me virei em direção a porta e vi quem falava isso, Emily...ela estava com botas de couro compridas, uma saia cinza curta, uma blusa branca com detalhes em prata com uma jaqueta de couro por cima.Bruna pirou realmente se soltou de mim e a olhou diretamente , Emily se curvou para trás gemendo de dor, então em seguida  levantou as mãos e em seguida as abaixou jogando Bruna do outro lado da sala, ela se levantou e ergueu as sobrancelhas para Bruna enquanto Ogeid a ajudava a levantar.

-O que você faz aqui sua lira oxigenada?Não tem mais pessoas para matar?

Emily ignorou Bruna e olhou diretamente pra mim, eu enxuguei minhas lagrimas e ela sorrio.

-Sei o jeito de tirar sua amada do controle do demônio,posso salva-la agora mesmo se me deixar...

-Como não vou saber se você não quer mata-la com suas próprias mãos?

Emily revirou os olhos, e chegou mais perto enquanto Bruna resmungava pra Ogeid.

-Miguel não gostou nada de eu não ter te matado e te mostrar parte dos eu passado e com isso ele me expulsou, agora sou do time dos mocinhos isso não é o máximo?

-Você esta mentindo!Jeffer não consegue ver que ela esta mentindo?Não confie nela!-gritou Bruna quase chorando.

Olhei para Bruna e em seguida para Emily, e no quarto dava pra ouvir Caroline gritar e chorar ao mesmo tempo.Aquilo era imsuportavel,eu não podia aguentar mais e se Emily estivese falando a verdade?Se ela soubesse como salvar Caroline?Ela era a minha única chance eu não suportaria ouvir nem mais um grito de Caroline, eu acenei com a cabeça para Emily e ela foi em direção ao quarto.Bruna se pós na frente da porta broqueando a passagem.

-Não vou deixar você ferir Caroline! - gritou Bruna.

-Bruna ela pode ajudar - disse Ogeid - De uma chance a ela, todos merecem uma chance...

Bruna olhou Ogeid em seguida para mim e fuzilou Emily com os olhos, em seguida suspirou e deu passagem a Emily, Emily foi até a cama e olhou Caroline, ela colocou a mão na testa de Caroline e começou a falar palavras que nunca as ouvira antes, parecia latin, mas parecia algo muito mais poderoso, algo escuro começou a sair de Caroline, e ela agora parou de gritar, quando Emily terminou, Caroline abriu os olhos devagar e olhou para nos assutada.Fui ate ela e a abracei chorando e felicidade, ela estava em choque e imóvel. Olhei para Emily e sussurrei um obrigada.

-Você me surpreendeu...mas ainda não confio em você - disse Bruna indo abraçar Caroline.

-Tanto faz, olha tenho que ir foi bom ajudar você Jeffer...agente se vê em breve?

-Sim...obrigado mais uma vez.

Emily foi emborra, eu olhei para Caroline assustada.

-Tive um pesadelo tão ruim...ontem é tudo um borrão pra mim, minha cabeça doí...Jeffer...pode me deixar sozinha com Bruna?Por favor...

Olhei desconfiado para ela, em seguida Ogeid estava indo porta a fora, eu a olhei beijei seus lábios e sai pela porta.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Capitulo 11- Algodão doce do Central Park

Tumblr_lwgsdzjblf1r3tb4jo1_1280_large

Jeffer me olhou me analisando, pensando em como iria me responder aquilo, senti um arrepio ao saber que não sabia o que meu namorado realmente era, como ele não respondeu voltei a perguntar:

-Jeffer...o que você é?Fale a verdade...-ele olhou para o chão, e em seguida para mim e parecia que havia decidido o que fazer.

-Sou um anjo...

Olhei ele sem expressão, como ele percebeu que eu não iria dizer nada começou a me contar os detalhes, que ele havia acordado um dia no céu sem memoria e que uma arcanja chamada Emily havia informado que o destino dele era proteger a mim pois eu tinha esse dom que algumas pessoas tentariam roubar ao completar 17 anos anos...E ele continuo a falar as coisas que nunca um dia pensei que ouviria alguem me dizer:

-...Eu vi você crescer, vi você passar de criança para mulher.Quando você estava em seu quarto chorando reclamando que se sentia sozinha eu estava lá dos eu lado, te ouvindo querendo te tocar e te consolar,sei que soa estranho e maluco mas é verdade...lembra quando você mentiu pra sua mãe dizendo que iria a escola e na verdade foi com Júlia no shopping perseguir o menino que vocês duas gostavam? Lembra quando você gostava tanto do Harry Potter que ficou no banheiro da escola tentando achar a passagem da câmera secreta?Eu sei de tudo sobre sua vida e isso só me fez amar mais ainda você...e o inclivel disso tudo é que anjos não são capazes de se apaixonar, nós só amamos Deus e ninguém mais, mas com você foi diferente,e é por isso que ontem apareci daquele estado estou tentando descobrir o passado, isso ira dar respostas sobre mim sobre você e seus poderes.Agora por favor fale alguma coisa pode gritar, pode fazer o que quiser mas não fique me olhando assim...

Eu suspirei e deitei no chão tentando processar tudo, a ficha não caiu, não acreditava que ele fosse um anjo mas como ele sabia tanto sobre minha vida?Não ,era impossível, como um anjo podia se apaixonar por mim?Como eu poderia ter um dom?Eu só era uma garota comum de Washington, que só tinha uma amiga verdadeira, nunca nenhum menino me dava bola, me esforçava ao máximo para tirar notas boas...

-Eu não posso acreditar Jeffer, desculpe...- eu disse olhando pra ele, aquele olhos verdes pareciam magoados e eu queria voltar no tempo e não ter dito aquilo mas simples mente era a verdade eu não podia acreditar.

-Eu gostaria de não poder fazer isso mas você não acredita em mim... - ele se endireitou e estendeu as duas mãos a frente -Quer uma prova?Lá vai sua prova.

Olhei para ele sem entender, ele fechou as mãos e a luz apagou tudo ficou escuro, pensei que a força tinha acabado e olhei para a lampada, quando voltei meus olhos para Jeffer suas mãos estavam abertas e levei um grande susto elas estavam controlando lindas luzes de vários formatos e cores, fiquei vibrada olhando sem entender, aquilo era a coisa mais linda que eu já havia visto, senti minhas dores e preocupações irem emborra, aquilo era magica, aquilo era Jeffer, Jeffer era um anjo.O meu anjo.
Ele fechou as mãos e exausto deitou-se no chão arfando, depois de alguns segundos ele se sentou e me olhou.

-O que acabou de ver foi poder dos céus, anjos fazem isso até os anjos caídos que foi isso que eu virei depois de bem interferir demais na terra, agora acredita em mim?

-Isso é impossível... - ele franzio as sobrancelhas e eu sorri -Eu sempre soube que no fundo você era um anjo!

Ele sorrio e me pegou e nos beijamos, um beijo eletrizante por finalmente eu saber a verdade sobre o que ele era e amar ainda mais ele.Depois eu olhei pra ele sorrindo.

-Então você tem assas? Você pode voar?E a Bruna ela também é um anjo?Qual outros poderes você tem? - disse depressa curiosa e ele começou a rir.

-Ei calminha, sim tenho assas mas estão guardadas, posso voar, Bruna é um anjo cupido e ela sabe ser irritante as vezes por ser mais velha e saber das coisas, falando nisso tenho que encontra-la...

-Espere!Você disse que eu vejo o passado não é? - disse olhando para o chão.

-Sim por que? Você viu algo? - ele disse me olhando curioso.

-Hoje foi tão estranho, sonhei com uma época diferente, e eu estava na porta de uma casa e adivinha de quem era a casa?Sua casa era você tenho certeza, eram os mesmos olhos verdes, você estava tão sorridente...

Jeffer passou as mãos pela testa pensativo.

-Emily me mostrou uma coisa parecida , eu estava em outra época pintando...Tenho que descobrir mais sobre isso mas sempre que tiver sonhos estranhos você precisa me contar entendeu? -afirmei com a cabeça e ele beijou minha testa. -Tenho que ver a Bruna, fique aqui e não abra essa porta a ninguém!

Jeffer saio porta a fora, e eu deitei no chão frio e comecei a pensar que ele não me merecia, um anjo!Meu namorado era um anjo que fazia luzes com as mãos tinha assas e me salvava de demônios...isso era tão surreal, precisei me biliscar para saber se não era um sonho...Não era real...



Lá estava eu amarrando a tira dos meus All Star que estava desamarrada, estava brava e chateada com Jeffer, como ele ousa gritar daquele jeito comigo depois de tudo o que ele fez?Eu paro minha missão para ajudar e é assim que ele me retribui, olhei para o lado e lá vinha ele emburrado , eu estava no Central Park em Nova York, já estava imaginando o tanto de poder que ele teve que usar para se deslocar até aqui e aquilo me fez sorrir, ele sentou no banco ao meu lado e bufou.

-Já contei ás coisas pra Caroline agora pode me dar a bronca.

-Emily?!Tipo com tantos anjos Emily?!Eu odeio aquela garota loira oxigenada!Quase morreu pra saber que você era um humano e vivia em outra época!E mais uma vez: Emily?! -levantei do bando e comecei a agitar meus braços no ar, ele que estava serio se segurou para não rir, e isso me fez bater na cabeça dele.

-Ai!Admito meu erro mas até que poderia ter sido pior ela poderia me matar mas não matou!RÁ!Ta bom quer que eu admito que estava errado?Quer que eu beije seus All Star e implore por perdão?

-Seria legal ver isso! - Exclamou uma pessoa atras de mim, me virei e vi Ogeid comendo um algodão doce...aa essa não, era só o que me faltava.

-Até você veio pra festa Ogeid?Vai falar que estou errado também? - disse Jeffer suspirando, Ogeid colocou algodão doce na boca e riu.

-Na verdade eu ia falar que a Emily é gostosa e que eu faria o mesmo! - Jeffer e Ogeid começaram a rir e bater na mão um do outro, eu fiquei uma fera cerrei meus pulsos e comecei a pular de raiva.

-Eu odeio vocês! - fiquei repetindo enquanto pulava , Ogeid passou as mãos pelo meu ombro e suspirou sorrindo.

-Ahh coitada da Bruninha, que dó...quer algodão doce? - disse ele me oferecendo.

-Eu não quero seu algodão doce!Pera...quero sim me dá! - roubei o algodão doce e comecei a comer pra controlar a raiva, estava muito gostoso, quando terminei Jeffer estava do meu lado e me deu um abraço, eu ergui minhas pernas e ele me girou.

-Não consigo te ver tristinha ta? - disse ele me apertando e me colocando no chão.

Ogeid olhou e deu de ombros, ele foi até mim e Jeffer.

-Serio você ta encrencado Jeffer, arcanjos e demônios atrás de Caroline?Vai precisar de ajudo..e bem eu...quero ajudar!

Engasguei e comecei a tocir,depois olhei espantada pra Ogeid, ele estava brincando?

-Você?Quer ajudar?Meeuuu Deus o fim do mundo chegou e eu não soube! - ele revirou os olhos pra mim e Jeffer sorrio para ele.

-Obrigado serio cara, vou precisar de toda a ajuda possível, os céus e a terra querem Caroline, não vou deixar nada acontecer nunca a ela.

-Ontw que lindu! - eu disse erguendo uma perna, depois me dei conta da hora já era tarde eu tinha que voltar.-Tenho que ir, Jeffer vai dar tudo certo!E Ogeid anda logo temos que voltar!

Ogeid deu um aperto de mão e Jeffer e eu dei um super abraço e fomos a um lugar alem da imaginação.



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Capitulo 10 - "Confie em mim eu só quis te matar"

6621185607_3b831cedc3_b_large

A igreja estava igual ao que eu me lembrava, eu já estava entrando mas Emily puxou meu braço e indicou a parte atrás da Igreja, sem questionar segui até a parte de trás e vi que havia uma construção antiga com sinos e pequenas torres,encostei em uma torre e olhei para Emily esperando ela falar algo, ela batia as unhas na mão da mão , na atitude de pensar por onde começar.

-A verdade pode ser uma ferida Jeffer que não ira cicatrizar - começou ela a dizer calmamente -As vezes é melhor não lembrar de um passado,isso poupa a dor.

-Eu sei das consequencias, mas estou disposto a arriscar -sorri para ela que suspirou parecendo que eu escolhei a pior opção.

-Imaginei que escolheria está opção...

Emily passou as mãos pelas costas e logo estava com uma adaga de prata em mãos, ela se aproximou de mim, no começo não entendi o motivo daquele ato mas depois já sabia: ela queria me matar, rápido escalei a torre para ganhar tempo, ela veio atrás de mim com a adaga de prata.

-Porque está fazendo isso Emily? -gritei escalando rapidamente a torre -Pensei que queria me ajudar.

-Sinto muito Jeffer mas eu cumpro ordens, Miguel mandou todos os arcanjos que o servem te matar

Escalei até o topo e ela estava ao meu lado com a adaga em mãos mirando em minha direção, mas havia certa coisa nela que não queria fazer isso, como se ela estivesse sendo controlada.

-O que Miguel ganharia me matando?

-Você sabe o que ele ganharia, sem você Caroline ficaria desprotegida e poderíamos pegar o poder dela, sim Jeffer Miguel está de olho no poder de Caroline e quer suga-lo.Me desculpe.

No instante que ela pedia desculpas tirei minha camiseta, ela avançou ate mim ergui os braços e evoquei minhas assas que se abriram numa explosão, isso fez com que Emily caise e deu tempo para alcançar voo, estava com saudades de sentir o vento batendo em meu rosto, minhas assas planando no céu, era a melhor sensação do mundo, voar era como deixar seus problemas para trás, mas não tinha como relaxar pois olhei para trás e vi Emily voando atars de mim com a adaga de prata nas mãos, se aquilo perfurasse meu coração eu estaria morto.Continuei a voar, mas sabia que não duraria por muito tempo ela era um arcanjo, tinha poderes inimaginaveis, ela poida estralar os dedos e eu podia cair a metros até a terra, mas porque ela não fazia isso?Ela já poderia ter acabado com isso aquilo era inultio, parei de voar e olhei diretamente para ela que parou em seguida me olhando.

-Não...consigo - disse ela abrindo as mãos e deixando a adaga cair -Eu sinto muito Jeffer...

Fiquei parado olhando para saber se não era mais um de seus truques, eu não acreditava nela , nem um pouco.Eu a encarei com olhos cheios de raiva e rancor, ela se encolheu  suspirou.

-O que posso fazer para acreditar em mim?Nunca mais vou tentar te matar eu juro - eu continuava a encara-la tentando desvendar o seu próximo passo -Quer que eu te conte o seu passado? Ta bom eu conto...olhe Jeffer você era humano!Você viveu na terra em outra época!Eu juro que é verdade!

Eu a olhei procurando pelos olhos mentiras, mas os olhos pareciam sinceros.

-Eu não acredito em você , a pouco você tentou me matar e agora está me ajudando?Você é muito burra se acha que vou acreditar em mais uma de suas mentiras.

Emily esticou as mãos e nelas começaram a dançar luzes rosas e violetas, as luzes começaram a se transformar em imagens e eu as observei, era um garoto na faixa de 12 anos pintando um quadro com as roupas todas sujas de tinta, ele estava com vestes de outra época emborra não reconhecia qual, quando ele se virou eu vi seu rosto...era eu.Não era possível, não podia ser.Ela fechou as mãos e as imagens sumiram.

- O que acabou de ver foi o passado, bem o seu passado.- Emily começou a abaixar as assas -Acredite em mim ou não é problema seu, o fato é que essa é a verdade, eu estou numa divida eterna por ter quase te matado e vou te ajudar a desvendar seu passado...se ainda quiser minha ajuda.

Em poucos minutos ela tinha planado e aterisado numa fazenda, eu fiquei planando no céu pensando no que acabara de ver, aterisei guardei minhas assas e caminhei até desmoronar no chão, afinal precisava pensar.




"Eu podia sentir o cheiro de rosas no jardim, era uma linda manha, os pássaros cantavam e os vizinhos sorriam alegremente, estava na porta esperando me atenderem, meu coração disparava, minhas mãos suavam e eu ficava ajeitando meu cabelo e minhas vestes para ver se nada estava fora do lugar, ate que ouvi passos e a maçaneta girando, então a porta se abriu e ele estava lá, com aquele sorriso lindo, os cabelos bagunçados , e aqueles olhos verdes que sem duvida ipnotizavam qualquer um, sussurrei seu nome lentamente: "Harry" e ele colocou as mãos em minha face, levantou meu rosto ao dele e com delicadeza beijou meus lábios..."

Acordei confusa, olhei para os lados e vi que estava no Sofã cercada de um pote de sorvete, pedaços de pizza e refrigerantes, de tão nervosa que estava quando Jeffer foi emborra dizendo que tinha algo importante pra fazer comi tudo o que via pela frente assistindo aqueles filmes horríveis de sessão da tarde, até que adormeci e sonhei...afinal que sonho era aquele?Eu reconhecia muito bem aquele "Harry" ele tinha a aparência de Jeffer, mas era tudo tão diferente e igual ao mesmo tempo, parecia outra época...É com certeza eu estava ficando maluca, o encontro com o demônio tinha afetado meus neurônios, suspirei e olhei para janela esperando que Jeffer estivesse chegando,mas em vez dele vi Bruna sentada na esquina, corri para a porta não me importando que eu estava com um pijama horrível de porquinhos e fui até ela, ao chegar na esquina me sentei ao seu lado, ela me olhou de cima a baixo arregalando os olhos.

-Não teve uma noite muito boa não é? - perguntou ela arrumando meus cabelos - Também como você pode dormir com tantas revelações a seguir não é?

Então Bruna sabia,comecei a estralar meus dedos pensando aonde eu podia começar a fazer perguntas,nesse instante vi Jeffer andando na rua, me levantei e vi que ele estava um horror, sem camisa exibia os músculos bem definidos, o cabelo estava todo bagunçado todo seu corpo estava sujo, parecia que tinha trabalhado numa oficina o dia inteiro, os olhos estavam vermelhos e ele parecia prestes a cair, Bruna assim como eu parecia espantada, quando ele chegou perto de nos me abraçou.

-Jeffer eu não acredito que foi se encontrar com aquela vaca da Emily! - gritou Bruna com raiva, Emily? Quem era Emily? Nesse instante fiquei morta de ciumes, olhei para ele brava e ele se limitou a me abraçar.

-Pensei que anjos não falavam palavrões Bruna- disse Jeffer irônico.

-Vaca não é um palavrão!Vaca é um animal , assim como aquela Emily é!Satisfeito?Soube um pouco sobre seu passado mas a que custo? O de quase ser morto?!Você não tem mais poderes lembra?Só tem suas assas, força e é ágil, ela tem poderes Jeffer!

Jeffer me apertou, aquilo doía ele estava pegando fogo, estava com raiva, até que ele explodio.

-CALA A BOCA!- gritou ele , me apertando mais em seu peito, senti ele soluçar ele estava chorando de raiva e tristeza,oque estava havendo?Tinha medo de perguntar, mas a maior dor for ver Jeffer chorar, o apertei forte não me importando com as duvidas só queria que ele ficasse bem, só queria voltar ao tempo quando estávamos em minha casa rindo, se beijando e sendo feliz, aquilo parecia tão distante agora.Olhei pra Bruna que chutava o asfalto com seu All Star preto com estrelinhas brancas.

-Largue Caroline agora Jeffer!Você merece boas explicações para ela, depois você vai ter uma conversa seria comigo!-Bruna revirou os olhos e suspirou-Eu tenho que ir agora Ogeid esta me procurando e vai ficar enfurecido se não me encontrar!

Olhei pra Bruna para falar dizer tchau e ela havia sumido, comecei a arfar, mas Jeffer apenas passou as mãos em meus cabelos num gesto para eu não me preocupar, ele havia parado de chorar, ele me soltou olhou em meus olhos, seus olhos verdes que eram sempre sinceros e me traziam segurança agora traziam tanta dor...

-Vamos entrar?A tanto a te contar não consigo nem imagina por onde começar - Eu afirmei com a cabeça e nos seguimos de mãos dadas até minha casa.Ao entrar lá ele observou as coisas jogadas na sala e os cobertores espalhados.

-Jee-ffer...-tentei falar ,mas não saia nada da minha boca, ele sorrio sem mostrar os dentes e se sentou em um canto eu o acompanhei e me sentei em sua frente.

-Caroline você é tão especial, não imagina o quanto é...Você pode fazer tantas coisas, você tem um dom, uma coisa magina dentro de você. -Eu o olhei sem entender, ele falava do que? -Já aconteceu cosias estranhas com você?Quando dorme seus sonhos são confusos?Parecem reais?

Olhei para ele assutada, o que tinha haver meus sonhos com aquele demônio afinal?O que Jeffer era?Ele estava me deixando mais confusa do que explicando as coisas.

-Pela sua reação parece que sim, olhe seus sonhos não são meros sonhos, eles mostram o passado,presente e futuro.

Tive vontade de rir mas me segurei.Ele estava falando serio?Tipo aquela serie antiga do Disney Chanel "As visões da Raven"? Me veio a cabeça que aquilo fazia um certo sentido, as vezes eu sonhava coisas que se realizavam, era estranho mas sempre fiquei quieta, tinha medo das pessoas me chamarem de esquisita, alguns sonhos me aterrorizavam mas outros eram bons como sonhei com Jeffer antes de conhece-lo.Mas aquilo era loucura não era?

-Jeffer se oque você fala é verdade, como posso ter esses sonhos? - ele suspirou e por alguns minutos parecia pensar no que dizer ate olhar diretamente pra mim.

-Não se assuste ta, eu sei que é tudo uma loucura, sei que você não tem como acreditar logo de cara mas o que estou dizendo é a verdade e pode revelar mais um pouco sobre você, eu não sei como você ganhou esses poderes, estou tentando descobrir mais sobre as coisas, como hoje quase morri pra saber um pedaço da historia, a verdade é que eu fui destinado a te proteger, aquele demônio queria seu poder Caroline, e minha missão é te manter em segurança.

Informaçao demais, algumas coisas estavam se encaixando mas ainda assim era tudo tão absurdo, tudo tão confuso, minha vida normal passava pela minha cabeça, eu sempre fui a menina da escola que menos se destacava, havia ficado com poucos garotos, sempre me esforçava para manter minhas notas estáveis,nunca tive muitas amigas e amigos, me sentia sozinha na maioria das vezes, teve dias que eu achei que nunca iria ter um grande amor no qual valia a pena se arriscar mas então Jeffer apareceu e trouxe com ele uma imensidão de coisas que eu jurava que não existiam, demônios, e agora ele fala que tenho um dom de ver o passado ,presente e futuro, e ele foi destinado a me proteger?Tudo era tão complicado, agora a pessoa que meu coração disparava mais rápido, a pessoa que eu pensava 20 hora por dia porque as outras 4 horas quando ficava com ele não pensava em mais nada, a pessoa que tinha os beijos mais cinseros, as caricias mais ternas e o sorriso mais alegre do mundo estava na minha frente esperando uma resposta minha uma reação, mas tudo oque pude fazer foi perguntar...

-Jeffer o que você é realmente?