segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Capitulo 8 e 9- Perseguições

Obs: antes de vocês lerem o capitulo um recado: nesse capitulo anexei 2 de uma vez só.Obrigada pelos comentários eu leio todos e desculpe por não conseguir responder mas eu agradeço muito a todos!Suas palavras me motivam a continuar a escrever.


Tumblr_luts73zsix1qeyoyuo1_500_large

Não tinha nada melhor no mundo do que estar sentado na varanda da casa de Caroline com ela em meus braços, os pais dela estavam em Nova York para exportar produtos novos para a lanchonete e eu e Caroline podíamos aproveitar para ficar o dia inteiro assim juntos sem ninguém.Ela estava muito quieta então olhou para cima com um cara de duvida.

-Isso não está certo - disse ela franzindo as sobrancelhas. -Eu não sei quase nada sobre você Jeffer aonde morra e quem são seus pais?Aonde estuda?Eu nem sei sua cor favorita!

Sorri para ela sarcasticamente, sabia que cedo ou tarde ela faria essas perguntas que eu não fazia ideia como responder,o que diria a ela? Não podia dizer: Caroline eu não morro em nenhum lugar só fico vigiando você o tempo todos, não tenho pais só lembro de acordar com assas e receber uma missão para te guardar, aah e sem esquecer que tem um demônio psicopata que esta querendo me matar para ter você.Em vez disso suspirei.

-Minha cor favorita é azul - sorri e ela revirou os olhos - Não era isso que queria saber?

-Não!Confie em mim eu quero saber tudo sobre você! - ela se virou pra mim e eu sabia que não ia resistir aqueles olhos suplicantes então...

-Tudo bem,morro em um apartamento sozinho, eu morava antigamente em Nova Jersey e vim aqui em Washington trabalhar para ganhar dinheiro e entrar na faculdade daqui, meus pais estão em Nova Jersey! -sorri pra ela satisfeito, até que foi uma boa mentira, odiava ter que mentir para Caroline isso doí no fundo do meu ser mas não podia dizer a verdade isso a colocaria em risco fatal.

-Que faculdade você pretende entrar?

Perguntou ela, e eu fiquei a olhando não fazia ideia do que responder então a beijei calando-a , ela enterrou seus dedos em meu cabelo e me beijou com intensidade, como sempre nos beijávamos parecia que algo fervia , um fogo aqui dentro que nunca se apagava, e sempre que o beijo acabava sempre parecia que uma parte de mim se fora também.

-Você é muito mal Jeffer, conhece todas as minhas fraquezas - beijei sua bochecha e ela sorrio -Um dia também vou saber tudo sobre você.

Fomos interrompidos pelo celular de Caroline tocando, eu revirei os olhos e me deitei enquanto ela atendia.Ela ficava tranquilizando alguem , parecia que estava falando com Júlia e no fim ela disse que já estava indo e desligou o celular, ela olhou pra mim confusa.

-Era a Júlia...que estranho ela estava agitada queria que eu a buscasse na floresta, parece que um encontro dela com o Bem não deu certo,mas encontro na floresta?Não tem nada a ver com a Júlia!

Fiquei quase tão surpreso quanto Caroline, o que Júlia iria fazer numa floresta com Bem?Logo veio a imagem do demônio em minha cabeça, demonios podiam imitar vozes de pessoas com facilidade e enganar, e se não fosse Júlia?E se fosse o demonio querendo matar Caroline?Aquilo não estava certo e segurei o braço de Caroline e ela olhou confusa pra mim.

-Jeffer me solte, eu já volto não é tão longe, vou de carro volto rápido vai ver - ela tentou se soltar mas eu não me movi -Jeffer me solte!Confie em mim!

-Deixe eu ir com você? - pedi suplicando olhando nos olhos dela -Por favor não é seguro!

-Eu sei me cuidar Jeffer confie em mim! -ela se soltou e foi em direção ao carro -Por favor não me siga, eu vou ficar bem confie, volto logo.

Enquanto via ela dando partida no carro, corri para dentro e peguei a chave do carro do pai dela, eu tinha que segui-la, ela corria perigo.



Estacionei o carro, e suspirei fundo e entrei floresta adentro, tentei ligar trés vezes para Júlia só que ela não atendia, não fazia ideia em que lugar ela estava, as arvores quase fechavam todo o espaço,tentei gritar o nome de Júlia mas não havia resposta, estava quase desistindo ate ver a frente uma campina, ela devia estar lá, aquele lugar era o melhor que um encontro poderia oferecer, andando ate a campina senti passos atrás de mim, Jeffer.Ele estava me seguindo , queria que ele confiasse em mim e que eu ficaria bem.Parei no meio do caminho e me virei, lá estava ele usando seu chapéu, sua blusa preta listrada e a calça jeans escura.

-Eu tinha que ver se você ia ficar bem, me entende?- disse ele se aproximando e beijando minha testa e eu o olhei zangada.

-Não, é a Júlia que esta aqui e não aquele homem de outro dia!Tem que parrar de se preocupar tanto comigo - sorri peguei sua mão e fomos a campina, não havia ninguém, nem sinal da Júlia, quando ia me virar para dizer a Jeffer para irmos emborra algo se mexeu entre as arvores, e logo se revelou: era o homem que havia me sequestrado, o não aquilo não era possível, minhas pernas tremiam.

-Jeffer corre é ele - tentei puxar Jeffer para sairmos dali o mais rápido que pudecimos,mas ele não se mexia, ele olhava para o homem com um olhar de raiva - Vem, pare de bancar o corajoso isso não é brincadeira Jeffer!

Jeffer me olhou e me colocou em seus braços e me levou em baixo duma arvore enorme, ele olhou em meus olhos e suspirou, beijou minha testa, desceu para minha bochecha e depois em fim meus lábios.

-Fique aqui, não importa o que aconteça ou veja não tenha medo e fique aqui, vou te proteger para sempre-ele pegou minha mão e colou a em seu coração e eu senti o coração dele bater rapidamente -Como a minha vida,lembra?

Ele se levantou e voltou, eu gritei para ele não ir, mas ele não me ouviu e fiquei encolhi morrendo de medo, não tento coragem e forças para segui-lo e conseguir para-lo.Tentei me acalmar e respirar fundo,e depois de alguns minutos fui me aproximando para ver o que estava acontecendo, eles pareciam estar conversando, sentei próxima sem ser vista para escuta los.

-...Melhor você ir emborra, por que não vai por inferno que é os eu lugar?- disse Jeffer zangado, nunca o ouvi tão autoritário.

-Você me faz rir sabia?Não vou a nenhum lugar sem ela e você sabe disso, quero o poder dela! - disse o homem , aquela voz me fez arrepiar, ele sempre falava desse poder,mas que poder era esse?

-Então é assim?Vou faze-lo se arrepender de tudo o que fez - disse Jeffer e em seguida ouvi um baque, algum deles tinham caído, estavam brigando?Tentei espionar e não acreditei no que estava vendo, aquele homem parecia possuído, ele manipulava algo negro em suas mãos , Jeffer se desviava com velocidade, oque era aquilo? O que aquele homem era? Não, isso era loucura, ele atingiu Jeffer e ele foi arremessado a uma velocidade impresionante, comecei a gritar e ele olhou para mim e começou a sorrir e em um minuto estava do meu lado.

-Bela Caroline, quase me esqueci de você esta com medo?

-O-o-o que-que vooce é?- gaguejei tremendo.

-Sou um demônio, esta chocada por saber que o mundo perfeito que você vivia tinha alguem assim como eu? - comecei a soluçar.

-Fique longe dela! - gritou Jeffer que estava se levantando do chão.

-Calma Caroline tudo vai ficar bem querida - disse o homem que colocou as mãos em minha testa e no mesmo instante eu apaguei e só via o escuro.



Levantei cambaleando, olhei em direção aonde Caroline estava e agora ela estava caída nos pés do demônio, o que ele havia feito?

-O que você fez com ela? - gritei e ele sorrio zombando de minha cara.

-Só a coloquei para dormir, não gostaria que ela vesse o namoradinho apanhar não é?

O demônio estava do meu lado eu me virei para soca-lo e ele caio no chão, mas ele levantou depressa e já estava em cima de mim, colocou as mãos em minha garganta me sufocando, dei um soco em seu queixo e ele voou longe e bateu em uma arvore o que causou um som ensurdecedor.Ganhando tempo me levantei para levar Caroline longe dali mas não foi tempo suficiente o demônio já havia me golpeado nas pernas e eu cai no chão, ele pegou meu cabelo e me arrastou, eu peguei seu pulso e o torci ele gritou , mas com o poder do pensamento me fez contorcer de dor no chão eu gritava, não estava com forças suficientes para mata-lo, eu o tinha subestimado, ele agora ria e vinha até mim com um sorriso no rosto.Estava tudo acabado.Ele olhou para alem de mim em algum lugar ao norte e nesse instante arrega-lou os olhos e começou a se desintegrar, em um instante não havia nada somente magia negra no chão, oque havia acontecido?Olhei ao norte e vi uma garota, cabelos loiros compridos, estava com um vestido preto rendado, e flutuava no chão exibindo lindas assas com tons de rosa.Era Emily, um anjo arcanjo.



Tumblr_lvw8c5wyyo1r0bd67o1_500_large

Eu conhecia Emily, quando acordei no céu sem memoria,sem saber o que eu realmente era ela estava lá e me ensinou tudo, me disse que eu era um anjo da guarda e fui destinado a uma missão, ela me ajudou na hora que eu não sabia nem mesmo o meu nome e agora havia me ajudado novamente matando o demônio, quando um demônio olha diretamente nos olhos de um arcanjo ele se desintegra e morre.

-Emily!Eu falo isso com toda certeza: que bom te ver - ela sorrio e guardou suas assas.

-Sempre falam que é bom me ver, bom...menos os demônios - ela deu uma risadinha e olhou Caroline -Então essa é Caroline?Não parece grande coisa!

Emily veio até mim me dando um beijo no rosto e olhou para o que havia sobrado do demônio, ela sorrio orgulhosa.

-Emily...eu tenho tantas perguntas sei que você pode responder algumas...- ela revirou os olhos e bufou.

-Já ate sei o que vai me perguntar, "por que eu um anjo ama uma humana?" , "antes de se rum anjo da guarda o que eu era?" , "o por que Caroline tem esse poder?" e bla, bla...

-É isso mesmo!Pode responder? - Emily segurou minha mão e negou com a cabeça -Mas por que?Por que ninguém nunca pode responde minhas perguntas?

-Por que não é permitido Jeffer, você mesmo que tem que descobrir!Mas eu te dou uma dica gato, sua namorada pode ter suas respostas!Você sabe o poder dela...

-Mas ela ainda não sabe controla-lo!Por favor me ajude Emily! -ela apertou minhas bochechas com as unhas rosas compridas.

-Ontw sabe que eu não resisto quando faz essa cara!Ta booom, olha é o seguinte quando você levar sua garota pra casa acalma-la e tal venha me encontrar na igreja, aquela que você acordou como anjo caído! -ela estava indo emborra mas se virou -Vá sozinho, e não conte a sua amiga cupidinha que eu te falei isso, sua cupida gosta de seguir as regras.

Sussurrei um obrigado a Emily, e ela se foi.Fui até Caroline e ela suspirava , parecia que estava num sono profundo, a peguei no colo e a levei em segurança.


Novamente sonhei com o lago, aquele lago que me amedrontava, agora reconhecia o garoto de olhos verdes era Jeffer, ele me dizia para não ter medo, mas o lago me puxava, algo me puxava para baixo, eu não queria afundar, queria estar em segurança com ele , nos braços dele...der repente meu sonho mudou, estava em uma rua escura, eu olhava um casal sorridente com roupas de outra época, eles pareciam tão felizes, tão apaixonados, e tão familiares, mas der repente algo mudou eles olhavam com cara de medo e espanto, estavam se abraçando e implorando para algo não os machucar, der repente uma explosão de luzes interrompeu o sonho...

Acordei na minha cama assustada, o que houve?Logo as lembranças do dia vieram a tona em minha cabeça, o demônio, Jeffer sendo atirado, ele me apagando...

-Jeffer!! - gritei e algo me apertou olhei para cima e Jeffer estava me abraçando... -Jeffer você esta aqui!Você esta bem...aa Jeffer

-Eu estou aqui tudo esta bem- eu chorava e ele me acalmava, dizia coisas bonitas em minha orelha mas não estava adiantando eu estava em panico.

-Aquilo foi mesmo real?Aquilo era um demônio?!Não´pode ser! - eu gritava e ele apenas me tranquilizava.

-Não tem perigo algum agora, você esta segura, ele esta morto nunca mais vai vê-lo novamente!Eu prometo que vou te explicar tudo, mas antes tem que se acalmar!

Olhei para seus olhos verdes, e suspirei, como assim morto?O que Jeffer havia feito?O que Jeffer realmente era?Que mundo era esse?Realmente existia coisas assim?Não era possível, mas como ignorar o que havia acontecido?Tudo era real, aquele mundo existia e eu estava vivendo nele e não sabia.

-Você o matou? Como? -disse agora um pouco mas calma mas ainda chorando.

-Não fui eu,foi uma outra pessoa muito poderosa mas ela é do bem.Ela nós salvou meu amor.- ele tirou os cabelos do meu rosto e beijou minha testa,depois meu ombro e em seguida me puxou para mais perto. -Eu disse que nunca deixaria nada te machucar.

-O que você é Jeffer? -perguntei assutada, saindo do seu abraço.Ele deu um riso baixinho.

-Eu não sou um demônio se quer saber.Sou somente um cara tentando proteger alguem que gosta muito.-disse ele sorrindo e eu sorri de volta, não havia como me assustar, ficar nervosa com Jeffer por perto ele simples mente fazia o medo desaparecer.

-Nunca me deixe, tantas pessoas que fizeram parte de mim me deixaram Jeffer, estou com tanto medo e preciso de você.

Ele segurou meu rosto e olhou em meus olhos, em seguida me deu um beijo profundo que fez sumir todo o medo, toda a dor, eu me esqueci de todos os meus temores,ele era como um...anjo, um anjo para mim.

-As coisas vão mudar Caroline, mas você tem que manter a calma e se lembrar sempre, você não esta sozinha!

Fechei os olhos e enterrei minha cabeça no corpo de Jeffer, ele tinha razão não adiantava nada eu ficar com medo ou querer que as coisas simples mente esclarecidas, tudo levava tempo, e se Jeffer estivesse comigo podia levar o tempo que precisasse que eu não reclamaria.


Foi dificiul deixar Caroline, ela estava muito afrita, e a cada trés minutos chorava baixinho.Não podia culpa-la ela estava assutada tudo o que conhecia estava prestes a mudar, e logo não havia como fugir, teria que contar o que eu realmente era, e isso era ariscado demais.Mas agora eu precisava encontrar Emily na igreja, ela concerteza teria a resposta para algumas de minhas inúmeras perguntas.Quando estava caminhando até a igreja eu vi Emily parada em frente a um poste de transito, ela olhava as unhas , quando me viu sorrio e piscou.Fui em sua direção sem entender.

-Não era para nos encontrarmos na igreja? - disse erguendo as sobrancelhas.

-Era, mas quis me certificar que não estava trazendo ninguém com você. - disse ela jogando os cabelos para trás.
-Não confia em mim? - ela ergueu as sobrancelhas -Tudu bem melhor nem responder essa minha pergunta, então vamos?

Ela foi na frente, parecia que estava em um desfile de modelos, eu fui atrás coçando a cabeça.Realmente Emily tinha um gênio muito forte, e sempre que olhava para ela parecia conhece-la antes de tudo.Mas eu ficava irritado com a superioridade de Emily em relação a mim, os arcanjos tinham isso se achando superiores aos anjos comuns, alguns arcanjos serviam a Deus e outros a Miguel,Miguel é o filho de Deus assim como Lúcifer e Gabriel, Lúcifer e Miguel sempre querem entrar em uma guerra sem fim, Miguel não se importa com os humanos ou o que aconteceria a terra se essa batalha existice ao contrario de Deus.Pra quem Emily trabalhava?Essa pergunta vivia em minha cabeça mas o medo de perguntar me impedia.Como ainda faltava muito para chegar a igreja e o silencio me matava, simples mente não gostava de ficar em silencio tomei folego.

-Emily não querendo parecer intrometido mas, você trabalha pra quem?Miguel ou Deus?

Emily se virou para mim, com os olhos em fúria, pensei que ela ia me matar, mas no mesmo instante sorrio e soprou um beijo para mim.

-Isso você vai descobrir quando chegarmos a igreja.

O que tanto tinha de importância em chegarmos ate a igreja? O que tinha lá? Tive um pressentimento, e não sabia distinguir se era bom ou ruim.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Capitulo 7- Minha vida



Estava limpando as messas da lanchonete, eu e Caroline trocamos olhares o tempo todo, estávamos bem mais próximos que toda noite ela me ligava para conversarmos (comprei um celular para mim com o dinheiro que estava recebendo na lanchonete) , estava um dia lindo ensolarado, tudo estava indo muito bem, olhei para porta enquanto Bruna entrava com uma companhia, eles se sentaram numa mesa, ela estava com os braços cruzados brava e ele revirava os olhos quando a olhou, achei aquela cena engraçada e fui até ela.

-Bruna que bom te ver!O que veio fazer aqui?E quem é sua companhia nova? - disse sorrindo e ela suspirou.

-Vim fazer uma visitinha e esse aqui é o que ganhei ao estar te ajudando, ele está de olho em mim para não contar nada o nome dele é Ogeid - disse ela sorrindo e ele olhou com raiva pra ele.

-Por favor me chame apenas de Gê.

-Aé ele detesta o nome dele, não é mesmo Ogeid? - disse ela mostrando a linguá para Gê que revirou os olhos e me olhou.

-Estou aqui pra manter Bruna de boca fechada- disse ele simples mente e eu comecei a rir.

-Boa sorte!É impossível mante-la de boca fechada! - eu disse controlando os risos, Caroline nos viu e correu até nos e abraçou Bruna,pelo visto elas tinham se tornado amigas, eu olhei pra Caroline tão sorridente, tão alegre e feliz.

-Bruna estava com saudades!E quem é ele?Seu namorado?

-Argh ele ta mais pra cachorro de guarda! E falando em namorado você e Jeffer formam um lindo casal - bruna fez um coração entre mim e Caroline que ficamos vermelhos no mesmo momento.

-Somos só amigos, bom eu tenho que atender alguns cliente daqui a pouco vou encontrar Júlia - Caroline deu um abraço em Bruna e estava indo - Foi bom te ver!

Quando Caroline saio Gê olhou para mim com curiosidade.

-Então aquela é a famosa Caroline?É verdade o que ela pode fazer? - ele se inclinou pra Bruna que revirou os olhos.

-Sim, mas ainda ela não sabe que tem esse poder e nem sabe controla-lo, então boca fechada! - ela imitou um zíper com a boca.

-Não vai me dizer que está juntando Jeffer com ela?Eles nunca vão ficar juntos você sabe disso.

Nesse momento Bruna olhou furiosa pra Gê e ele se inclinou para frente segurando a cabeça, e começou a gemer, ela olhava fixamente para ele, ela estava fazendo algo manipulando sua mente para sentir dor aquilo não estava certo.

-Ei já chega! - ela olhou pra mim e Gê voltou ao normal suspirando -Olha eu não me importo com a opinião dos outros, não precisava fazer isso Bruna.

-Eu sei, mas é que ele me irrita! - ela se levantou batendo os pés e Gê foi atrás dela, olhei para trás e vi que Caroline me observava ,ela se virou rápido ficando vermelha.


Estava tentando me esconder do sol enquanto Júlia ia na frente, estávamos indo ao campo de futebol, pois ela queria ficar de olho em Bem, eles tinham ficado no cinema e desde então ela ficou obsecada por ele,e agora ela estava me arrastando para o jogo, o que eu não faria por uma amiga.

-Olha, olha ele ali! - ela apontou pra um menino moreno amarrando o tênis -Ele está tão lindo hoje!Como eu estou?

-Pela decima vez você está linda Júlia! - ela estava com calça jeans que combinava com seus tênis e um suéter preto delicado e os cabelo soltos, estava realmente bonita, eu estava com a roupa que fui ao trabalho, sapatilhas pretas, shorts jeans e uma blusa branca.

Eu e Júlia fomos perto do gramado, ela foi correndo dar oi para Bem enquanto eu fiquei parada esperando ela, ao me virar vi Lucas com seus amigos.Tinha me esquecido que ele jogava futebol naquele campo,um grande erro eu vir ali por que agora ele estava se aproximando com um sorriso que eu amava olhar antigamente e agora que só me lembrava de velhas magoas.

-Caroline!Quando tempo, mas finalmente apareceu - ele se aproximou para me dar um beijo no rosto mas eu me afastei e ele olhou confuso e começou a rir - A não ainda aquela historia?Está sendo ridícula!

Os amigos dele começaram a rir da minha cara, e eu senti as lagrimas querendo vir, ele e seus amigos estavam rindo e fazendo gracinhas, aquilo doía tanto brincar com meus sentimentos, eu o odiava.

-Eu te odeio Lucas! - empurrei ele, e ele ergueu as sobrancelhas.

-Ei,ei ódio é uma palavra forte, não acha?

- Amor também é. E as pessoas falam como se não significasse nada.- nesse exato momento senti alguem atrás de mim, olhei para cima e vi Jeffer com os olhos furiosos, ele olhava Lucas concentrado, senti um alivio em ver Jeffer, parecia que ele estava sempre perto quanto eu mais precisava dele,ele me dava força, passava segurança, ele estava sempre lá para me segurar.

-Nunca mais fale assim com a Caroline esta me ouvindo?Ela merece muito mais respeito, mas vindo de você eu não esperava mais nada! -Lucas bufou e foi para cima de Jeffer.

-Quem você pensa que é?Você não me conhece!

-Eu penso que sou uma pessoa melhor do que ficar zombando de uma garota tão maravilhosa quanto Carline!E não preciso te conhecer para saber que você é um idiota.

-Aé?Te desafio!Jogue contra mim hoje e vamos ver quem é o idiota!- os amigos de Lucas começaram a zombar de Jeffer e Bruna apareceu com as mãos na cintura.

-Vocês não tem um jogo?Ou perderam a coragem? -eles foram andando até o gramado e Bruna bateu nos ombros de Jeffer-Boa sorte!Acabe com eles e me deixe orgulhosa!

Bruna ia a arqui bancada enquanto Jeffer me olhava, ele me abraçou e eu senti tanta segurança não queria me soltar dele nunca mais, é como se ele me livrasse de toda dor,eu poderia ficar ali nos braços de Jeffer para sempre e não me cansaria disso, quando ele me soltou senti sua falta imediatamente.

-Vou ganhar esse jogo por você eu prometo...Só tem uma coisa,como se joga Futebol?


Depois de explicar ao Jeffer o que era futebol eu,Bruna e Júlia estávamos assistindo na arqui bancada,eu fiquei chocada ao saber que ele não sabia jogar futebol mas Bruna logo me avisou que ele não era um grande atleta e que antes de se mudar para Washington vivia numa cidade pequena, mas ainda assim era tão estranho, tudo nele era misterioso.Agora ele estava jogando futebol, fizera um gol contra e cairá na quadra umas 4 vezes mas agora estava jogando super bem e até fez um gol,parecia que tinha pegado o jeito e o time dele poderia até ganhar se fizesse mais dois gols, oque aconteceu logo em seguida Jeffer tocou para Bem que fez um gol, e Júlia pulo da arqui bancada e começou a gritar.Agora só faltava mais um, Bruna começou a gritar o nome de Jeffer, ele olhou para nós e sorrio para mim e eu envergonhada sorri de volta, era impossível não olhar para Jeffer e não sorrir, quando o olhava o sorriso vinha automaticamente, e olhando agora para ele e Lucas não sabia como um dia achava Lucas bonito, Jeffer com os músculos aparentes sobre a camiseta, os cabelo castanhos escuros lisos jogados de lado,a pele lisa, o rosto bem desenhado,ele sem duvida era lindo mas não era somente por Jeffer ser lindo que me encantava, o fato de ele ser ele mesmo, de ser a pessoa mais amável,doce e encantadora que eu conheci era isso que me encantava.Em seguida os minutos passavam para acabar o jogo, estava tudo empatado , Lucas estava com a bola e corri para o ultimo gol, mas Jeffer veio em seguida pegou a bola e a grande distancia chutou e como se fosse projetado ele fez o gol da vitoria, eu Bruna e Júlia começamos a pular e a gritar, Jeffer e seu time comemorava na quadra e enquanto comemorávamos eu e Jeffer trocávamos olhares secretos um com o outro.


Depois de comemorar Lucas veio até mim suando, o bom de ser um anjo é que era dificiul me cansar rápido, não estava suando nem cansado alis jogaria novamente sem pensar duas vezes.

-Então você ganhou, Caroline é sua e não vou mais chegar perto dela. - eu revirei os olhos e cheguei bem perto dele para ele entender.

-Caroline não é um trofeu!Caroline para mim é minha vida, vivo pra faze-la sorrir todos os dias, vivo para protege-la, tenho pena pois nunca irá conhecer a garota inclivel que ela é -Lucas olhou para baixo e saio do campo.Eu fui em seguida tinha gente me esperando para comemorar.

-Jeffer foi tão inclivel!-Bruna me abraçou -Agora eu e Júlia vamos dar privacidade a vocês dois!

-Claro!Eu e Bruna vamos dar os parabéns ao Bem! -As duas saíram dando risadinhas, era inclivel como Bruna mesmo sendo um anjo que já viverá bastante ainda parecia uma adolescente.

Olhei para Caroline e nos fomos andar jonje do campo, sentei no gramado e ela ao meu lado.

-Obrigada Jeffer por tudo o que você fez,você aparece quando mais preciso.-disse sorrindo

-Como você faz isso?-deitei na grama fechando os olhos.

-Isso oque? - Caroline se inclinou por cima de mim confusa.

-Você sorri e o mundo inteiro se ilumina!-abri os olhos e ela estava surpresa e der repente começou a sorrir.Derre pente nossos lábios estavam se aproximando,ambos com os olhos fechados, eu sentia o alito fresco dela em meus lábios, aquilo quase me fazia enlouquecer, até que nosso lábios se fundiram,existe como descrever o que aquele beijo significou para mim?Não, se havia palavras para descrever o amor aquele beijo descreveria.Foi terno,cheio de sentimentos e com a esperança de ela retribuir, e foi no beijo que soube que Caroline também sentia o mesmo que eu também queria ficar comigo e nunca me deixar.Aquele beijo que para mim foi longo profundo e que fez ambos não quererem que terminasse, queria parra o tempo naquele momento e ficar repetindo um milhão de vezes.Quando nosso lábios se separaram Caroline olhou pra mim e se apertou em meu peito.

-Promete que nunca vai me abandonar Jeffer? -ela olhava com os olhos sinceros. -Você é tudo o que sempre sonhei,promete que não vai me deixar?

-Não preciso prometer isso, eu nunca deixaria minha vida para trás.-Nisso Caroline aproximou os lábios e nos beijamos novamente com a mesma emoção.

Enquanto isso, alguem observava, alguem que queria somente uma coisa: poder.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Capitulo 6 - Nunca mais iram te levar de mim

Tumblr_lfvvezrkww1qbpcpeo1_500_large

Acordei com minha cabeça latejando de dor, estava meio zonza , tentei me mecher mas meus braços e minhas pernas estavam presos com uma corda, olhei em volta estava num galpão abandonado, ele estava se aproximando de mim com botas pretas cheias de lama, tentei gritar mas o grito não vinha estava assustada demais, ele levantou meu rosto para olhar para ele e começou a sorrir.

-Já volto querida, vou trazer alguns amiguinhos,não tente escapar não ira conseguir-ele largou meu rosto com tudo e começou a andar para a porta , para fora do balcão, em um minuto fiquei parada e depois comecei a gritar, gritei por ajuda mas quem iria escultar?O que ele iria fazer comigo? Ele era um tipo de pervertido?Estava com tanto medo que comecei a chorar e a gritar ao mesmo tempo, estava sem esperanças, deitei no chão frio e sujo chorando e rezando.Ouvi a porta se abrir , era ele, ouvi passos pesados em minha direção, oque ele queria agora? me torturar? Senti mãos puchando as cordas e em seguida minhas mãos estavam livres e depois meus pés.

-Ei vai ficar ai deitada ou vai me ajudar a te tirar daqui? - falou uma voz de mulher, olhei para cima confusa e era uma garota de no máximo 15 anos, os cabelos pretos soltos, com uma camiseta branca básica,uma calça jeans escura e All Star vermelho. -Levante se! Vamos vim te tirar daqui!

Sem perguntar mais nada eu e ela corremos para fora, estávamos em uma parte bem distante de Washington não conhecia muito daquele lugas mas parecia que a garota conhecia e então a segui, estava anoitecendo depressa e corri o mais rápido que pude até minhas pernas ficarem bambas e eu cair no chão exausta.Olhei pra cima e ela parecia inteira, ela me olhava com preocupação tomei folego e finalmente tive coragem de falar.

-Estou com tanto medo, se você não tivesse chegado a tempo não faço ideia do que ele faria comigo- solucei e comecei a chorar, ela me abraçou esperando eu me aclamar -Obrigada, sou Caroline e você...

-Pode me chamar de Bruna, estava andando e ouvi seus gritos e fui ver o que era...- ela pegou minha mão e a segurou com força - Agora tudo está bem!Bom as melhores amizades acontecem em situações de risco foi isso que ouvi falar.

Comecei a sorrir e ela também, nos continuamos a caminhar ela me guiando, eu estava um pouco mais calma agora e só queria tomar um banho e esquecer do que havia acontecido.

-Então como ele te achou? - perguntou ela sem virar para trás.

-Eu estava saindo da lanchonete de meus pais e ele esperava lá fora...Já ouviu falar da lanchonete Hungry tiguer?

-Ah sim, meu amigo iria começar a trabalhar lá, conhece o Jeffer? - ela se virou com um sorrisinho.

-Nossa vocêe é amiga do Jeffer? - fiquei animada repentinamente com a noticia -Ele é engraçado e misterioso...enfim ele é legal.

-A sim muito legal...- disse ela rindo - Olha se seguir reto e virar a direita naquela esquina vai já estar perto de sua casa.

-Como sabe aonde eu morro? - perguntei confusa.

-Isso não interessa! - disse ela erguendo as mãos - Agora vá, foi bom te conhecer Caroline!



Estava sentado na floresta deprimido, estava tentando não pensar em Caroline, olho pro lado e vejo Bruna sentada ao meu lado, sem ler almas não conseguia mais sentir a presença de ninguém e isso era um ponto a menos em ser anjo caído.

- O que estava fazendo ontem a noite? - perguntou ela zangada.

-Estava fechando a lanchonete até que Caroline me deu um fora, estávamos dançando e achei que estávamos nos dando bema té que ela se virou e evitou me olhar, senti meu coração se destruir nunca sentira isso antes a rejeição foi demais pra mim então a deixei sozinha.

-Enquanto você tava deprimido Senhor levei um fora,ela foi raptada por um demônio que queria o poder dela, e eu tive que parrar minha missão pra salvar sua namoradinha!

Fiquei em choque e me joguei na grama, fui um idiota em deicha-la sozinha não tinha perdão, tinha que protege-la.

-Eu fui um idiota!Como os demônios a acharam? Pensei que ela tinha um escudo ou coisa parecida...

-Presta atenção Jeffer você era o escudo!Você era o anjo da guarda dela!Quando você caio do céu o escudo também caio eu disse que havia consequencias!E agora mais do que tudo tem que ficar perto dela! - Bruna estava agitada me reprendendo pelo meu erro e eu aceitei eu tinha errado, e se ela não tivesse salvado Caroline talvez ela não estaria mais aqui...aquele pensamento fez algumas lagrimas rolarem, nunca iria me perdoar por tela deichado, nunca.

-Fui um covarde me desculpe Bruna...Vou encontra-la agora e ficar perto dela, se esse demônio ainda esta vivo vira atrás dela novamente - levantei e fui andando, era sábado Caroline sempre ia com o pai pescar no  rio Colúmbia.



Caroline estava sentada numa plataforma de madeira, estava olhando o rio destra ida enquanto o pai estava na outra margem pescando com amigos. Me aproximei dela e dei um susto nela a fazendo pular e olhar assutada pra mim.

-Você me assustou Jeffer! O que faz aqui? - ela perguntou me olhando de cima a baixo.

-Vim pescar - sorri -Sou um ótimo pescador.

-Ta, mas cade a sua vara? - eu e ela olhamos para minhas mãos...esqueci desse detalhe e fiquei vermelho. - Ta vou fingir que acredito, conheci sua amiga ontem.

-Ah sim ela me contou- me sentei ao seu lado e senti meu corpo queimar apenas de estar junto dela,olhei em seus olhos -Você está bem?

-Sim vou ficar, por favor não conte nada aos meus pais eles já estam com problemas demais - ela olhou pro pai rindo alegremente. -Ainda estou assustada com tudo o que aconteceu.

- Eu sei, você vai ficar bem,estou aqui agora - eu a abracei e ela chorou em meus braços, podia finalmente a consolar, iria coloca-la em meus braços e não deichar que nada a levasse de mim, nada iria machuca-la, não mais, meu corpo fervia encostado com o dela, ela era um pequeno anjo em meus braços. Ela se afastou de mim, olhou em meus olhos e sussurrou um obrigada.Fiquei a olhando e passando minhas mãos por seus cabelos, ficamos assim nos olhando nos falando atravez de gestos delicados, conversamos sobre como ela gostava da chuva num dia quente, como ela adorava cantar e dançar sozinha para se livrar da tristeza, de como ela se divertia com sua amiga Júlia, eu a fiquei escutando, a fiz rir, e o tempo passou como se fosse uma brisa de verão.Aquele dia foi tudo o que sempre sonhei, eu Caroline e meu amor por ela crescendo cada vez mais.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Capitulo 5- Primeira dança



Primeiro dia de trabalho...podia dizer que me sai bem.

Primeiro dia de trabalho de Jeffer...podia dizer que ele tentou se sair bem.

Eu pude chegar tão perto dela, pude sentir meu coração disparar ao olhar nos olhos de Caroline.

Ele chegava perto , meu coração disparava ao olhar naqueles olhos verdes, me senti segura.

Me ofereci para ajuda-la a fechar a lanchonete hoje...finalmente irei poder falar com ela sem a interrupção de um cliente.

Vamos fechar a lanchonete juntos hoje,finalmente vou descobrir mais desse cara misterioso que me deixa flutuar em pensamentos.


-Não demore pra voltar para casa - disse papai olhando pra Jeffer -Lembre se é só fechar e ir...

-Pare de ser tão bobo Carlos!- disse minha mãe empurrando meu pai pra fora da lanchonete e piscando pra mim, eu apenas sorri envergonhada.

Faltava uma hora para fechar, uma cliente na faixa de 40 anos estava reclamando com Jeffer no balcão e eu fui  até lá ver o que estava havendo.

-Isso é uma brincadeira não é? - disse a cliente irritada.

-Foi isso que você pediu não foi? - disse Jeffer confuso, eu olhei para o café da moça e havia pedras de gelos nele.

- O que aconteceu?- perguntei confusa e Jeffer olhou pra mim intensamente - Por que colocou pedras de gelo no café dela?

-Ela me pediu café gelado!Pensei que queria gelo no café,achei até que estranho quando ela pediu mas...

-Jeffer café gelado não se faz assim! - comecei a rir, isso era uma piada?Ele não sabia o que era café gelado? -Desculpe moça, amanha venha aqui que ganhara um café gelado de graça!

A senhora bufou e saio nervosa da lanchonete, olhei pra Jeffer e ele estava confuso, as sobrancelhas arqueadas, senti vontade de acariciar aquele rosto confuso.Mas em vez disso cai na gargalhada,era a primeira vez em muito tempo que ria de verdade.Jeffer começou a sorrir.

-Gosto quando você ri - eu o olhei confusa, e ele olhou pra baixo - Quer dizer gosto de fazer as pessoas rirem.

-Amanha prometo que te ensino a fazer café gelado - disse sorrindo -Afinal que ser humano nesse mundo não sabe?Você com certeza não é desse mundo Jeffer!

-Com toda certeza - ele sorrio e começou a recolher os copos e pratos das messas enquanto eu ia desligar o radio, estava tocando The one that got away....fechei os olhos para sentir a musica tocar, sem que eu percebesse estava me movendo no ritmo da musica, senti alguem segurando minha mão, me virei e abri os olhos Jeffer me convidando para dançar.Ele sorria sem mostrar os dentes e olhava para alem de mim, como se pudesse me ver por dentro.


-Essa musica não foi feita para dançar...- Ele apenas sorrio e começou a me rodopiar, só conseguia olhar em seus olhos, parecia que flutuava no ritmo da musica,era como se eu já tivesse visto esses olhos milhões de vezes, mas mesmo assim me perdia sempre que os olhasse,aproximei meu rosto do dele lentamente, ele me passava segurança...não.Me afastei dele e me virei, eu não posso me envolver demais, não quero sofrer novamente, tenho tanto medo de acabar como meus outros relacionamentos, acabar em lagrimas, estou com medo d e me envolver com outro alguem, e ainda nem mesmo conhecia Jeffer direito, mas aqueles olhos... Me virei para olha-lo e ele não estava mais ali, procurei ele por toda a lanchonete ele havia sumido, me senti culpada, com vontade de correr até ele, oque eu tinha feito?Fui uma boba.Peguei meu casaco e as chaves e fechei a lanchonete, estava caminhando em direção ao carro até que alguem pucho meu braço, me virei e vi o garoto do outro dia da lanchonete que pediu meu telefone, ele exibia um sorriso sarcástico no rosto.

-Desculpe eu já estou indo emborra...

-Querida Caroline você não vai a lugar nenhum - ele estava me apertando, tentei me livrar dele mas não consegui ele era tão forte.

- O que você quer?Me solte!Socorro! - gritei mas a rua estava vazia.

-Eu quero uma coisa especial minha cara...quero seu poder! - ele tinha brilho sombrio nos olhos...do que ele estava falando?Que poder erra esse? Derre pente ele colocou os dedos em minha cabeça e eu apaguei só oque vi foi a escuridão.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Capitulo 4- Novo colega de trabalho


Encostado na porta vendo minha doce Caroline dormir era um de meus passatempos favoritos, queria toca-la como jamais quis, mas então olhei para minhas mãos e só via o contorno brilhoso delas, eu não tinha forma, não sentia frio,calor, não sentia nada mas com Caroline eu sentia uma enorme explosão de sentimentos que não devia sentir,era único.Senti algo se aproximando, uma alma realmente forte que reconheci eram arcanjos, Caleb e Bryan, eram altos morenos e se olhasse por muito tempo seus olhos começavam a arder, se um demônio olhasse diretamente para eles morreriam.

-Já sei o que vieram fazer aqui...acabem logo com isso - eu disse olhando para baixo

-Sabe então das consequencias de seus atos?- falou Caleb olhando com seus olhos brancos que fariam qualquer um se arrepiar-Você só deve amar a Deus e ninguém mais,você é um anjo tem que ser puro e digno, não interferir nos sonhos da garota é crucial para o dom dela você sabe disso.

-Eu sei , só estava tentando protege-la

-Tarde demais você será expulso do céu, diga suas ultimas palavras Jefer-Disse Bryan sorrindo sarcasticamente, olhei para Caroline que dormia silenciosamente em um sonho profundo.

-Desisto de tudo por ela

Fechei os olhos e senti a pontada, e der repente a luz, só havia luz e sabia que era o fim.

Abri os olhos e vi um teto magnifico, senti que estava deitado no chão e estava frio, espere...eu podia sentir?Levantei com rapidez e olhei minhas mãos, eram mãos reais!Eu era real!Não havia brilho , não havia nada era somente eu, comecei a pular igual a um doido até que ouvi uma risada, olhei para o lado e Bruna estava agora com um All Star diferente , uma camiseta escrito: I S2 NY e com jeans justos.

-Até que enfim acordou bonitão!É serio sem o brilho você fica realmente bonito! - disse sorrindo e indo até mim -Bem vindo!

-Bruna...o que eu sou??Sou humano novamente? - disse sorrindo, mas ela fez sinal que eu estava errado.

-Você é um anjo caído, foi expulso do céu mas ainda é um anjo só que agora os humanos podem te ver, e suas assas estão escondidas, só libere elas em caso de extremo perigo!-Bruna me abraçou e eu finalmente senti o corpo quente de alguem, como era bom se sentir vivo novamente-Vem tenho que te mostrar uma coisa!

Bruna foi a frente e fui atras dela e percebi imagens da arquitetura neo-bizantina, eu estava na Basílica do Santuário Nacional,o maior templo católico dos Estados Unidos, a oitava maior estrutura religiosa do mundo e o prédio mais alto de Washington, D.C...não era pra menos que queriam que eu acordasse aqui.Bruna parou na frente de um espelho , onde pude ver meu reflexo pela primeira vez, meus olhos verdes ainda um pouco confusos, meu cabelo castanho liso estava jogando de lado como sempre, era inclivel como conhecia meu reflexo mas não lembrava nada antes de ser um anjo.Bruna do meu lado bem menos que eu estava fazendo caretas no espelho ao meu lado, e ria da minha cara ao me observar.

-Então agora tire a camiseta! - quando ela disse isso fico corado e a olhei sem entender -Calma eu não sou uma pervertida nem nada assim!Só quero te mostrar uma coisa confia em mim!

Tirei a camiseta e ela me virou e olhei minhas costas, havia uma tatuagem de assas nelas,elas eram pretas meio azuladas, idênticas as minhas assas verdadeiras.

-Não é uma mera tatuagem, é um tipo de feitiço para aprisionar suas assas e você só vai liberar-las quando o perigo se aproximas, também tenho uma - ela deu de ombros e suspirou - E ai o que pensa em fazer agora?Que tal irmos na Disney? Decho você me levar 2 vezes na montanha russa grandão!

Tentador mas só uma cosia que eu queria naquele momento: Caroline.



Estava voando em meu sonho, sentindo a brisa no meu rosto era tão bom, mas der repente senti que alguem me segurava, estava nos braços de alguem enquanto sobrevoava pela cidade, eu adorava aquela sensação, mas der repente meu sonho havia mudado estava perto de um lado imenso ,e olhei na outra margem do lado um garoto lindo de olhos verdes sorrindo pra mim, sorri de volta com facilidade ele sussurrava meu nome,queria ir até ele mas algo me puchava, então vi que algo no lago estava me puchando, não consegui me manter firme e afundei...

Acordei assutada e suando, enterrei minha cabeça no travesseiro, aquele sonho tinha me atrasado para o trabalho, corri e coloquei a primeira roupa que vi, estava saindo de casa e vi Júlia saindo de seu carro um fox prateado.

-Aonde está indo?Queria te pegar pra irmos no shopping juntas! - disse sorrindo , ela estava com um óculos escuro , uma echarpe e um vestido florido.

-Tenho trabalho!Ainda não acharam um ajudante então tenho que trabalhar em dobro desculpa! - fiz uma cara de desculpas estava indo para meu carro, adoraria sair um pouco com a Júlia mas tinha que ajudar meus pais.

-No shopping tem garotos legais!!- disse Júlia tentando me convencer.

-No emprego eu ganho dinheiro pra pagar esse meu carro legal,então venci- mostrei a linguá pra Júlia e entrei em meu carro.


Corri pra cozinha estava muito atrasada, estava indo colocar meu avental mas minha mãe me parou.

-Ótima noticia filha!Arrumamos um estagiário pra te ajudar! - suspirei aliviada -Ele está lá atrás vestindo o uniforme vá lá dar um ola para ele!

-Claro!Vou explicar as coisas para ele! - minha mãe afirmou

Eu sai andando para os fundos, então vi que ele estava de traz amarrando os sapatos.

-Oi, sou Caroline sua colega de trabalho!- disse tentando parecer entusiasmada o que eu não estava nesses últimos dias.

Ele se virou e eu fiquei paralisada, aqueles olhos verdes iguais do sonho, ele era o garoto do meu sonho, senti um calor irradiando dentro de mim, como se eu já o tivesse visto antes, der repente me senti segura perto dele, der repente senti que pertencia a algum lugar nesse mundo como se eu estivese esperando por ele esse tempo todo.

-Oi Caroline, meu nome é Jeffer - ele sorrio.